quinta-feira, 29 de abril de 2010

O uso da internet e as eleições em 2010

Eleições x Internet Não é mais surpresa a utilização da internet para inúmeros fins, sejam positivos sejam negativos. Reencontram-se pessoas; constroem-se relacionamentos de amizade e amor – e ódio também; rompem-se laços de distância; planeja-se o futuro; redescobre-se o passado; e, vive-se o momento com plena intensidade.

Assim é esse mundo “www” ou “.com”, cheio de surpresas. E, por isso, não é diferente que pessoas e empresas usem a web para fins profissionais, comerciais e de disseminação de conhecimentos. Afinal, estamos na geração digital.

A Roberta Simões já falou no @omelhordomkt (para o qual eu escrevo alguns artigos) sobre o Twitter e as oportunidades de negócio. Ousaria acrescentar às utilidades do microblog as “oportunidades eleitorais”.

E o caso mais célebre disso, já puxando para o assunto desta coluna, foi a grande repercussão de utilização do Twitter (TT) pelo então candidato à presidência dos EUA, Barack Obama. O fato não só impulsionou o microblog como também fez com que os políticos de todo mundo percebessem a importância desse processo eleitoral de conquista de eleitores usando a internet.

E não é para menos que hoje no Brasil, todo político que se preze tem um perfil no TT, outro no Facebook e, ainda, outro no Orkut. Além disso, formam-se comunidades e/ou páginas de fãs nestes dois últimos. Isso, sem falar na questão dos blogs, fotologs e fóruns de debates.

Por isso, é importante que o candidato, assessores, ou amigos do candidato ou ainda simpatizantes de candidatos fiquem atentos às regras eleitorais para o uso das redes sociais e demais aplicativos da web em prol da eleição.

A Lei 12.034/09, que incluiu os arts. 57-A a 57-I na Lei 9.504/97 (Lei Eleitoral), passou a permitir a propaganda eleitoral pela internet a partir de 5 de julho de 2010. Então, fiquem atentos a esta data e, também, a algumas regrinhas básicas quanto ao marketing eleitoral pela web, pois ele só pode ser feito:

1) em site do candidato, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País;

2) em site do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País;

3) por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação;

4) por meio de blogs, redes sociais, sítios de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural.


Se as regras anteriores são de como deve ser feita a propaganda, os indicativos a seguir são o do quê é vedado. Então, não pode ser feita:

1) a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga;

2) ainda que gratuitamente, a veiculação de propaganda eleitoral na internet, em sites de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e, oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios (o que é por demais óbvio!).

Se, por ventura, alguém desrespeitar as proibições citadas e fizer a divulgação da propaganda e, quando comprovado seu prévio conhecimento, o beneficiário dela ficará sujeito à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais). Então, se você não quer sujeitar seu candidato a uma multa, muito cuidado!

A Justiça Eleitoral poderá suspender um site por até 24 horas e, em eventual reiteração, dobrar o prazo de suspensão. O bom para nós eleitores é que o site suspenso deverá postar lá a informação de que “se encontra temporariamente inoperante por desobediência à legislação eleitoral”.

Um aspecto fundamental dessa Lei é que ela trouxe a livre manifestação do pensamento, porém vedando o anonimato durante a campanha eleitoral, por meio da rede mundial de computadores – internet, e, mais, assegurado o direito de resposta, inclusive por outros meios de comunicação interpessoal mediante mensagem eletrônica. A multa para quem desrespeitar isso é a mesma já citada antes.

Mais um detalhe importante para o eleitor saber: é vedado a qualquer destas “pessoas” – entidade ou governo estrangeiro; órgão da administração pública direta e indireta ou fundação mantida com recursos provenientes do Poder Público; concessionário ou permissionário de serviço público; entidade de direito privado que receba, na condição de beneficiária, contribuição compulsória em virtude de disposição legal; entidade de utilidade pública; entidade de classe ou sindical; pessoa jurídica sem fins lucrativos que receba recursos do exterior; entidades beneficentes e religiosas; entidades esportivas; organizações não-governamentais que recebam recursos públicos; e, organizações da sociedade civil de interesse público – a utilização, doação ou cessão de cadastro eletrônico de seus clientes, em favor de candidatos, partidos ou coligações, bem como é proibida a venda de cadastro de endereços eletrônicos. A penalidade é a mesma e sempre atinge o beneficiário dela quando comprovado seu prévio conhecimento.

E o provedor de conteúdo pode ser responsabilizado? Pode sê-lo! Isso porque o provedor de conteúdo e de serviços multimídia que hospedam a divulgação da propaganda eleitoral de candidato, de partido ou de coligação podem ser penalizados legalmente se, no prazo determinado pela Justiça Eleitoral, contado a partir da notificação de decisão sobre a existência de propaganda irregular, não tomar providências para a cessação dessa divulgação.

Uma outra regrinha que veio a calhar foi quanto às mensagens eletrônicas dos candidatos, partidos ou coligações, que terão de ter a possibilidade de o destinatário se descadastrar, obrigando quem enviou a retirá-lo da lista em até 48 horas. Após isso? É multa, pequena, mas é!!

Outra coisa: não tente se passar por terceiro, inclusive candidato, partido ou coligação, e fazer propaganda eleitoral, pois isso também é proibido e lhe acarretará uma multa, que pode variar de R$ 5.000,00 a R$ 30.000,00.

Acredito, assim, que teremos um embate eleitoral bastante centrado na internet e nas redes sociais no Brasil. Fique alerta e participe! Afinal, estamos sempre construindo um novo Brasil!

 

terça-feira, 27 de abril de 2010

Opções de antivírus: Avast! com versões Free, para escritórios domésticos e empresas

No artigo anterior desta série escrevi sobre o AVG, do gratuito ao corporativo. Neste novo post vou falar sobre outro antivírus que também tem opção gratuita para os usuários.

Veja os posts anteriores sobre “antivírus”: Qual o melhor antivírus e Opções de antivírus: AVG – do gratuito ao corporativo.

Como o título diz, a avaliação de hoje é sobre as opções relativas ao avast! antivírus, que também disponibiliza uma versão gratuita ao público que não tem ou não quer investir num antivírus por considerar desnecessária uma proteção maior.

Porém, antes de começar reforço as duas observações do post anterior: não estou ganhando ou deixando de ganhar nada com indicações deste ou daquele antivírus e, da mesma forma, acredito que cada um deve escolher o antivírus que melhor aprouver à sua segurança, pessoal e profissional.

Site do AV avast! em português: http://www.avast.com/pt-br/index

Versões oferecidas pelo avast!:

avast! Free Antivirus (5.0) 

image É a versão gratuita da avast! e a mais baixadas no Brasil, conforme os sites de downloads Baixaki e Superdownloads. Sugiro, porém, que seja baixado diretamente do site da avast! em português, com 42 MB, neste link http://www.avast.com/pt-br/free-antivirus-download. Neste mesmo link há a opção, para quem já possui a versão gratuita, de instalar uma versão mais aprimorada.

Características: das versões gratuitas disponibilizadas ao público o avast! Free Antivirus é a opção mais completa, sendo ideal para pessoas que enviam mensagens de e-mail e navegam em sites conhecidos. A própria avast! não recomenda a versão gratuita para quem quer fazer compras online e guardar arquivos sensíveis no seu PC.
 
Mas, a versão gratuita possui: proteção contra vírus e spywares; proteção anti-rootkit em tempo real; agendamento de tarefas; scanner na inicialização do sistema operacional; sistema de scanner inteligente, que não verifica o mesmo arquivo exceto se ele mude; além disso, possui vários escudos, tanto nos mensageiros instantâneos até no tráfego P2P (ex.: Emule etc.), na navegação por páginas, dentre outros; relatórios gráficos de verificação em tempo real; ainda, dá para destacar a chamada “informática ecológica”, que corresponde a menos solicitações à unidade de disco que resultam numa diminuição do consumo de energia.
 
Não possui: escudo de scripts em páginas maliciosas na web; filtro anti-spam; firewall; execução de verificação diretamente a partir da linha de comando; e, o avast! Sandbox (Permite que programas potencialmente exploráveis, tais como browsers da Web, e/ou executáveis suspeitos sejam executados num ambiente virtual seguro).
 
A pontuação, de acordo com a importância dos itens, elaborada pelo Tabelão Superdownloads, é de 6.6, ou seja, a melhor entre os antivírus gratuitos. A versão anterior, 4.8, reduzia o desempenho da máquina o que parece não ocorrer na 5.0.
 
Versões pagas para casa ou escritórios domésticos
 
image
 
avast! Pró Antivírus:
 
Características: além das funções referentes ao avast! Free Antivirus, também possui as seguintes opções de proteção: atualizações mais rápidas; navegação segura em web sites e aplicações suspeitas; navegação segura em web sites de alto risco; permite jogar continuamente no pc com segurança; escudo contra scripts maliciosos e o avast! Sandbox.
 
Valor: R$ 69,00 (sessenta e nove reais) por um ano ou R$ 96,00 (noventa e seis reais) por dois anos. A proteção para três computadores aumenta para R$ 99,00 (noventa e nove reais). O acréscimo de licenças domésticas tem o limite de 10 PCs.
 
avast! Internet Security:
Características: além das funções referentes aos anteriores, também tem: bloqueio contra ataques de hackers para proteger a sua identidade; mantém a caixa de correio livre de spam; promete segurança durante as compras online; tem proteção para armazenamento seguro de arquivos sensíveis; possui filtro anti-spam e firewall silencioso.
 
Não possui: proteção de senhas; não faz backup e restauração de dados; não faz desfragmentação do seu pc (não há referência em relação a este serviço) e não exibe graficamente o mapa da rede.
 
Valor: R$ 89,00 (por 1 ano) e R$ 126,00 (por 2 anos). O acréscimo para proteger três computadores é de R$ 30,00 (R$ 15,00 por máquina) por 1 ano.
 
 
Importante: as opções pagas têm período de teste. Significa que você pode testar antes de adquirir a versão.
 
 
Versões corporativas (comerciais)
 
 
As opções para “Empresas” da avast! são as seguintes:
 
- avast! Internet Security 5.0, para empresas com até 10 PCs (R$ 359,00)
 
- avast! Standard Suite, para empresas com mais de 10 e até 199 PCs (a licença para 50 PCs fica em R$ 3.465,00). Acompanha o avast! Professional, o Server Edition e o avast! Distributed Network Manager (ADNM).
 
 
 
- avast! Small Business Server Suite, com duas opções, a Standart (R$ 3.337,39 para 50 licenças) e a Premium (R$ 3.959,85 para 50 licenças). Ambas incluem o avast! Professional, o avast! Small Business Server Edition e avast! Distributed Network Manager (ADNM).
 
Existem vários outros produtos e soluções que o avast! oferece. Clique no link e veja as demais soluções para casa e pequenos escritórios e para empresas.
 
O avast! também oferece dois utilitários para os usuários:
 
  • avast! Free Online Scanner
  • avast! Free Virus Cleaner

    Avaliações feitas no mercado, por profissionais e/ou empresas:

    Olhar Digital: em testes feitos no final de 2009, ainda com a Home Edition, obteve o 1º lugar. Veja os resultados, baseados em 7 quesitos: http://olhardigital.uol.com.br/uploads/pdfs_laboratorio_digital/anexo1.pdf.

    AV-Comparatives: segundo testes divulgados em fevereiro de 2010, o avast! obteve avaliação 97.3, ficando em 11º lugar. Veja os resultados, baseados em detecção de pragas virtuais diversas, neste link: http://www.av-comparatives.org/images/stories/test/ondret/avc_report25.pdf. Outros dados do mesmo relatório: percebe-se que na avaliação quanto aos “falsos positivos” o avast! fica em 9º lugar, à frente de Panda e McAfee e atrás do AVG, e, quanto à velocidade na varredura em 4º lugar. No geral, teve uma avaliação de três estrelas, juntamente com os produtos Panda e Symantec.

    Malekal.com: Numa comparação feita recentemente na França, no início de março, o avast! ficou em 1º lugar dentre os antivírus gratuitos. Veja o infográfico:

    Segundo a página do avast!, o número total de usuários no mundo ultrapassa os 100 milhões. Não consegui dados exclusivos do Brasil, porém só pelo site do Superdownloads o avast! Free Antivirus foi baixado 305 mil vezes, enquanto que no Baixaki houve 365 mil downloads.

  • segunda-feira, 26 de abril de 2010

    Norton Safe Web – Opção de segurança no Facebook

    Mais uma opção de segurança no Facebook (a primeira em inglês e a segunda em português):

    Vejam e aproveitem mais esta opção de segurança.

    sábado, 24 de abril de 2010

    Leitura recomendada: novidades sobre a (in)segurança virtual, OS e aplicativos práticos

    Leitura Recomendada O leitura recomendada deste sábado traz coisas boas e ruins. As boas primeiro, é claro! E depois, as não tão boas e as ruins. Talvez você possa encontrar algumas misturadas, mas fazer parte dessa miscelânea virtual. Esta semana foi recheada de notícias relacionadas às áreas de TI, Segurança da Informação e Cyber Security. Vamos a elas:

    IG Tecnologia:

    Ubuntu 10.04 RC está disponível para download:

    A equipe de desenvolvimento do Ubuntu anunciou nesta quinta-feira que a versão RC1 do Ubuntu 10.04 (codinome Lucid Lynx) já está disponível para download. Este é o último passo no ciclo de desenvolvimento do Ubuntu 10.04, que deve ter seu lançamento oficial no próximo dia 29 de Abril. Leia mais aqui.

    Facebook e Microsoft lançam o Docs.com e divulgam informações sobre a Open Graph:

    O Facebook anunciou ontem, na conferência de desenvolvedores da empresa em São Francisco, a F8, sua união com a Microsoft para a criação do serviço Docs.com, um concorrente em potencial para o Google Docs. Leia mais aqui.

    Terra Tecnologia:

    Universidade Anhembi Morumbi abre inscrições via Facebook:

    A Universidade Anhembi Morumbi está anunciando inscrições para seu vestibular por meio de um canal que parece bastante eficaz: a rede social Facebook. Leia mais aqui.

    Anonimato na internet tem seu lado sombrio

    Taffy Brodesser-Akner - Em fevereiro, escrevi para o site Salon.com um artigo sobre o distúrbio de estresse traumático pós-parto de que sofri depois do traumático parto do meu filho. Infelizmente, foi um artigo que pude escrever em primeira pessoa, e nele eu discutia estatísticas, pesquisas e minha ambivalência inicial quanto a um diagnóstico que parecia mais apropriado para veteranos de guerra e vítimas de estupro. O texto não tinha o objetivo de evocar simpatia, e sim o de informar. Além disso, dado o volume de antidepressivos que eu vinha usando, eu não conseguia nem mesmo ter pena de mim mesma. Leia mais aqui.

    Empresa alerta para risco de ciberataques durante o mundial

    Os piratas informáticos aproveitarão a Copa do Mundo do futebol da África do Sul-2010 para atacar os fãs do esporte, alertou em Bogotá a companhia Symantec em um relatório, divulgado esta sexta-feira, sobre as ameaças à segurança na internet. Leia mais aqui.

    R7 Tecnologia:

    Governos tentam conter invasão de privacidade em redes sociais

    Autoridades discutem como proteger dados deixados em sites como Orkut e Facebook. Ao longo dos seis últimos anos, as redes sociais vêm sendo o fenômeno de maior destaque na internet e conectam mais de 1 bilhão de pessoas ansiosas por trocar vídeos, fotos ou votos de aniversário. Esses sites, liderados pelo Facebook, com 400 milhões de usuários, dependem da disposição dos usuários de compartilhar grande volume de informações pessoais com redes cada vez maiores de "amigos," sejam pessoas que de fato conhecem e encontram eventualmente, ou aquelas que conhecem virtualmente pela internet. Leia mais aqui.

    IDG Now!:

    5 ajustes indispensáveis para controlar a sua privacidade no Facebook

    Privacidade tem sido um tema espinhoso para o Facebook. Há três anos, a rede social revelou seu projeto de publicidade Beacon – e o resultado foi uma ação coletiva na Justiça. As mudanças na privacidade divulgadas em dezembro, concebidas para encorajar ainda mais o compartilhamento de informações, atraiu uma saraivada de criticas. E esta semana, na conferência F8, o Facebook anunciou mais mudanças que afetam a privacidade dos usuários. Leia mais aqui.

    Bom, são essas as sugestões de leitura. Eram para ser poucos, mas como falei no início a semana foi intensa! Boa leitura. Sugestões e críticas? Deixe seu comentário.

    quinta-feira, 22 de abril de 2010

    Fix it Center (beta): aplicativo da Microsoft resolve falhas do sistema operacional

    A Microsoft lançou um aplicativo para corrigir eventuais problemas e falhas nos sistemas operacionais, do XP ao W7. O aplicativo, Fix It Center, é, basicamente, uma central de erros do sistema operacional que aponta as soluções que existem para falhas mostradas.

    O Fix it Center pode ser baixado no site do Superdownloads, aqui neste link.

    O grande diferencial deste novo aplicativo é sua interface atrativa e a facilidade de uso, não tendo segredos na sua utilização. Assim que é iniciado, o Fix It inicia uma rápida inspeção no PC, apontando erros e suas prováveis soluções. Veja imagem abaixo:

    Fix It Center

    Após apontada a falha ele sugere a solução, bastando clicar em “next” (seguir). Em seguida, o aplicativo vai sugerir a você criar uma conta ou até mesmo usar o seu Windows Live ID, mas você pode optar por pular esta fase. Caso você se conecte e depois queira acompanhar o que foi coletado do seu PC basta acessar o portal do Fix It (http://fixitcenter.support.microsoft.com/Portal). Após fazer o login você poderá verificar os registros sobre sua(s) máquina(s), conforme essa imagem:

    image

    Ao final da inicialização, o aplicativo abrirá uma janela (como a abaixo) sobre os Automated troubleshooters for you PC:

    image

    Nessa janela você pode pedir que ele verifique todas as opções, uma a uma. Ele lhe alertará sobre a melhor configuração, por exemplo, quando da inicialização da máquina, visando melhorar o desempenho dela.

    É uma ferramenta boa e indicada. Porém, como está na versão “beta” ainda está sendo testada. Por exemplo, pedi para fazer uma verificação em relação às configurações do Windows Média Player e ele sugeriu que voltasse à configuração padrão o que eu não aceitei. Aí gerou um relatório de que isso fosse um erro e que as configurações podem ter sido definidas incorretamente. Eu aceitei como um alerta e segui adiante.

    image

    Bom, por hoje a dica é essa. O Fix it Center é como se fosse um técnico virtual à disposição e que pode ajudar a corrigir problemas.

    Obs.: Apenas para lembrar, quem possui, por exemplo, computadores Dell existe uma ferramenta específica de verificação de problemas de hardware. Basta que acione o atendimento 24/7 e eles lhe darão as orientações para rodar o aplicativo.

    terça-feira, 20 de abril de 2010

    Opções de antivírus: AVG – do gratuito ao corporativo

    Já escrevi um artigo sobre “Qual o melhor antivírus”, que é um dos mais acessados do Blog. No entanto, sempre tive vontade de ir um pouco mais a fundo e fazer uma verificação específica sobre alguns antivírus mais usados e importantes do mercado.

    Por isso, vou começar o assunto por aqueles que contém uma versão gratuita, disponibilizada ao público que não tem ou não quer investir num antivírus por considerar desnecessária uma proteção maior.

    O primeiro antivírus em avaliação será o AVG. Porém, antes de começar apenas duas observações: não estou ganhando ou deixando de ganhar nada com indicações deste ou daquele antivírus e, da mesma forma, acredito que cada um deve escolher o antivírus que melhor aprouver à sua segurança, pessoal e profissional.

    Site da AVG no Brasil: http://www.avgbrasil.com.br/

    Versões oferecidas pela AVG:

    AVG Anti-Virus Free Edition 9.0 

    É a versão gratuita do AVG é uma das mais baixadas no Brasil, isso segundo os sites de downloads Baixaki e Superdownloads. Sugiro, porém, que seja baixada diretamente do site da AVG do Brasil, neste link http://www.avgbrasil.com.br/incoming/landing_free_2.htm. Aí você terá duas opções, de baixar à versão gratuita (à direita) e também a versão paga (à esquerda).

    Características: possui, além de agendador de tarefas (uma das vantagens sobre o Avast) o LinkScanner, que, em tese, assegura que cada página da web que voce visita é segura - mesmo antes de visitá-la; também possui proteção contra phishing scam e antivírus e spywares (assegura que você não pegue ou propague um vírus, worm ou cavalo-de-tróia).
     
    Não possui: exibição gráfica do mapa da rede, controle para pais e bloqueios, desfragmentador de disco, eliminação de lixo do pc, proteção de senhas e backup e restauração de dados, além de outras funções importantes como firewall e anti-spam.
     
    A pontuação, de acordo com a importância dos itens, elaborada pelo Tabelão Superdownloads, é de 5.5.
     
    Versões domésticas pagas
     
    AVG - comparativo
     
    AVG Anti-vírus 9.0:
     
    Características: além das funções referentes ao AVG Free Edition, também possui as seguintes opções de proteção: Web Shield (para fazer downloads e trocar arquivos sem o risco de infecções por vírus); Antirootkit Avançada (contra as ameaças ocultas mais difíceis e sofisticadas), e; suporte técnico especializado (no sistema 24/7, gratuito durante o período da licença).
     
    Valor: R$ 58,00 (cinquenta e oito reais).
     
    AVG Internet Security:
    Características: além das funções referentes aos anteriores, também tem: o Identify Protection (mantém as informações particulares dos usuários seguras de ameaças conhecidas e desconhecidas); firewall; anti-spam e o chamado “modo de jogo”, que protege o usuário enquanto se diverte.
     
    Não possui: exibição gráfica do mapa da rede, controle para pais e bloqueios, desfragmentador de disco, eliminação de lixo do pc, proteção de senhas e backup e restauração de dados, e a função firewall não é completa (não autentica os sites mais usados para compras e transações bancárias e não haveria – segundo o Tabelão Superdownloads de Antivírus – proteção, em tese, mesmo estando numa rede sem fio). De acordo com informações da própria AVG, através da direção de marketing, o firewall é um recurso da versão Internet Security (doméstico ou corporativo) e não importa qual o tipo de conexão com a rede.
     
    Segundo o Tabelão Superdownloads possui uma avaliação em 6.8.
     
    Valor: R$ 90,00 (por 1 ano) e R$ 136,00 (por 2 anos). Segundo o Diretor de Marketing da Winco, Mariano Sumrell Miranda, o AVG Internet Security 9.0 é vendido em pacotes de 1, 2, 3, 5 e 10 máquinas.  Caso o usuário queira aumentar sua licença para 3 máquinas, o valor a ser pago será igual à diferença de preço entre o preço das licenças, se estiver na primeira metade da validade da licença e 50% do valor da diferença. Por exemplo: se após 1 mês de uso (primeira metade da licença) do AVG Internet Security de 1 ano e 1 usuário quiser fazer um aumento para 3 usuário pagará R$ 19,90 (R$ 109,90 - R$ 90,00).
     
    Suporte técnico: Segundo Mariano, o suporte telefônico e por e-mail em português é feito de segunda a sexta-feira, de 8h30 às 18h30min.
     
    Importante: as opções pagas têm período de teste. Significa que você pode testar antes de adquirir a versão.
     
     
    Versões corporativas (comerciais)
     
     
    As opções de “Segurança Comercial” da AVG são as seguintes:
     
     
    Obs.: a comparação entre os dois produtos pode ser analisada aqui. O preço para 5 licenças é de R$ 450,00 no primeiro caso e de R$ 289,00 no segundo.
     
    Existem opções personalizáveis de segurança para quem já tem proteção nas estações de trabalho:
     
    - AVG File Server Edition 9.0: para proteção para o servidor de arquivos. Inclui antivírus aprimorado, proteção LinkScanner contra ameaças web, e anti-phishing aprimorado.
     
    - AVG E-mail Server Edition 9.0: para proteger seu servidor de e-mail. Inclui antivírus aprimorado, proteção LinkScanner contra ameaças web, anti-spam centralizado, e anti-phishing aprimorado.
     
    - AVG Server Edition para Linux/FreeBSD: Proteção antivírus e anti-spam para servidores de e-mail Linux e FreeBSD. Bloqueia vírus e spam antes que eles entrem na sua rede.

    Avaliações feitas no mercado, por profissionais e/ou empresas:

    Olhar Digital: em testes feitos no final de 2009, ainda com a versão 8.5 do AVG, obteve o 2º lugar. Veja os resultados, baseados em 7 quesitos: http://olhardigital.uol.com.br/uploads/pdfs_laboratorio_digital/anexo1.pdf.

    AV-Comparatives: segundo testes divulgados em fevereiro de 2010, o AVG obteve avaliação 94.2, ficando em 15º lugar. Veja os resultados, baseados em detecção de pragas virtuais diversas, neste link: http://www.av-comparatives.org/images/stories/test/ondret/avc_report25.pdf. Outros dados do mesmo relatório: percebe-se que na avaliação quanto aos “falsos positivos” o AVG fica em 8º lugar, à frente de Panda e McAfee, e, quanto à velocidade na varredura em 6º lugar. No geral, teve uma avaliação de duas estrelas.

    NSS Labs: segundo testes divulgados em setembro de 2009, referentes à proteção contra malwares baseados na web, ou seja, de bloqueio de códigos maliciosos inicialmente no download e subsequentemente na execução, o AVG ficou em 9º lugar dentre os 10 AVs testados. O teste pode ser baixado aqui.

    O AVG só divulga o número total de usuários no mundo: 11 milhões. Não me foram passados dados exclusivos do Brasil. Quem quer ler a respeito de lista de prêmios recebidos pela AVG pode seguir por aqui ou aqui

    Bom, este post foi complementado com algumas informações repassadas pelo Diretor de Marketing da Winco, Mariano Sumrell Miranda.

    domingo, 18 de abril de 2010

    Leitura recomendada: ciberataques, ciberguerra e malwares

    Leitura Recomendada O #leiturarecomenda de ontem trouxe apenas notícias sobre o Marco Civil da Internet no Brasil. Porém, não poderia deixar de mencionar alguns bons artigos e notícias que li nesta semana, relacionados à cibersegurança, cibercriminosos, ciberguerra, vírus e cavalos de tróia.

    Threatpost/Br: Eugene Kaspersky: Tudo na internet está sob ataque

    Tudo – e todo mundo – na internet está sob ataque. De celulares a internautas, passando por serviços e softwares, e até geladeiras e torradeiras online. Enfim qualquer coisa que possua um endereço IP pode ser alvo de cibercriminosos. Leia mais aqui sobre a opinião de Eugene Kaspersky.

    Terra Tecnologia: Comando de Guerra Cibernética americano vê lacuna em leis

    O tenente-general Keith Alexander, o oficial promovido ao comando da nova unidade, escreveu a membros do Comitê das Forças Armadas do Senado para informar que a guerra via redes de computação estava evoluindo com tamanha rapidez que existia "um descompasso entre nossa capacidade técnica de conduzir operações e as leis e diretrizes que regem nossas atividades". Leia mais aqui.
     
    IG Tecnologia: Malwares são encontrados em publicidade de game do Facebook

    A empresa Sophos, especializada em produtos de segurança para usuários de internet, lançou hoje um alerta aos jogadores do “Farm Town”, popular game online disponibilizado na rede social Facebook.

    De acordo com Graham Cluley, especialista em segurança da Sophos, usuários do jogo estão recebendo falsos avisos de segurança em uma tentativa de enganar os mais desavisados a instalarem códigos maliciosos ou disponibilizarem detalhes de seus cartões de crédito. Leia mais aqui.

    G1 Tecnologia: Novo vírus “chantageia” usuários que baixam conteúdo pornô

    Um novo tipo de vírus virtual infecta computadores que utilizam uma rede de compartilhamento de arquivos e publica o histórico de navegação em um site para chantagear os usuários, pedindo dinheiro em troca da remoção dos dados.

    O vírus do tipo Trojan, ou Cavalo de Tróia, que têm o objetivo de roubar dados, é jáponês e se instala nos computadores de usuários que utilizam o popular serviço de compartilhamento de arquivos chamado Winni, usado por 200 milhões de pessoas. Leia mais aqui.

    Estadão: Crimes virtuais cresceram 6.513% no país em cinco anos, diz estudo

    SÃO PAULO - O número de fraudes na internet cresceu 6.513% no País entre 2004 e 2009. Os dados são do Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil. Segundo o delegado José Mariano de Araújo Filho, da Unidade de Inteligência Policial do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), os números se referem às queixas feitas por administradores de redes, mas o total de fraudes pode ser bem maior. Leia mais aqui.

    Ps. aos leitores do Blog: esta última notícia não condiz exatamente com a realidade, pois que a afirmação foi feita com base em dados do CERT.br, os quais não revelam, necessariamente, que cada incidente é um crime virtual!!! Então, leia a notícia com cuidado!!

    Boa leitura!!

    sábado, 17 de abril de 2010

    Leitura recomendada: Marco Civil da Internet no Brasil

    Leitura Recomendada O #leiturarecomendada deste sábado é relativo aos debates interativos do Marco Civil da internet brasileira. Nesta semana já escrevi um artigo sobre o assunto e que pode ser acessado aqui: Marco Civil da Internet no Brasil x Minuta do Anteprojeto de Lei.

    Para acessar a Minuta de Anteprojeto de Lei sobre o Marco Civil, colocado ao público para as discussões, acesse neste link http://culturadigital.br/marcocivil/2010/04/07/minuta/, porém se desejar participar você tem de se cadastrar no CulturaDigital.br.

    O Estadão: Projeto de Lei do Marco Civil aumenta as responsabilidades dos usuários

    O Ministério da Justiça divulgou na quinta-feira (8), com algumas semanas de atraso, o anteprojeto do Marco Civil da Internet, lei que definirá direitos e responsabilidades de cidadãos, empresas e governo. O projeto quer garantir a liberdade de expressão, a privacidade, a neutralidade e a segurança da rede. Para isso, prevê uma grande mudança na maneira como a web é tratada pela Justiça brasileira. Leia mais aqui e também veja o “infográfico” do Estadão para o Marco Civil.

    Câmara dos Deputados: CCTCI vai debater proposta de marco civil na internet

    A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara, vai debater em audiência pública a proposta elaborada pelo Ministério da Justiça para o marco civil da internet. O requerimento, de autoria da deputada Luiza Erundina (PSB-SP), foi aprovado nesta quarta-feira (14/04) na CCTCI. Leia mais aqui.

    Novo Tempo: Projeto de lei discute direitos na web brasileira

    O Marco Civil, projeto de lei que determina os direitos, deveres e responsabilidades dos usuários da rede,  será analisado  por uma comissão da Câmara dos Deputados.  A regulação está sendo criada por meio de uma construção colaborativa de pessoas interessadas nas mais diversas áreas da sociedade, como cidadãos, jornalistas, sociólogos, políticos, entre outras pessoas. Leia mais aqui.

    Internet Legal: Executivo enviará regulamentação sobre internet até o fim de junho

    A Câmara deve receber até o fim de junho projeto do Executivo sobre o marco regulatório civil da internet. O anteprojeto, que está atualmente aberto para consulta pública no Fórum da Cultura Digital, começou a ser discutido em outubro de 2009.

    A proposta estabelece os princípios gerais para direitos e responsabilidades de usuários, provedores e do setor público. A tipificação de crimes cometidos com o uso da internet é tratada em outra proposta (PL 84/99), já aprovado pela Câmara em 2003. A conclusão da votação desse projeto pelo Congresso ainda depende da análise pelos deputados de mudanças feitas no Senado. Leia mais aqui.

    As três notícias são referenciais e têm um único objetivo, ao menos para mim: que todos possam opinar sobre o assunto e participar do debate proposto. Então, participem!!!

    quinta-feira, 15 de abril de 2010

    Qual o melhor navegador para seu computador?

    Vários usuários me perguntam sobre qual é o melhor navegador? Ou, ainda pior, muitos ainda usam o Internet Explorer (IE) por vir agregado ao sistema operacional Windows; No entanto, quando falo da questão de segurança e vulnerabilidades, há uma tendência de mudança.
    Veja uma lista de navegadores no site Baixaki, clicando neste link.
    De acordo com a Net Applications, o IE continuava sendo o mais baixado e usado (em 2010), sendo seguido do Firefox e do Chrome, este que passou à frente do Safari e do Ópera (veja notícia do mesmo ano no Terra Tecnologia). Já em dezembro de 2011, conforme notícia do Terra Tecnologia, o Chrome era usado por 23,6% das pessoas contra 23,5% dos usuários do IE.
    2010 - Os leitores do Blog do Emerson usavam na sua grande maioria o Internet Explorer, porém na verificação que fiz dos últimos 90 dias (jan, fev e mar) o Firefox saiu na frente com 41,1%, seguido do Internet Explorer (37,9%) e do Chrome (16,1%). A preocupação, no entanto, é quanto à atualização do browser, no que todos devem ficar atentos!!
    2011 - durante esse ano, houve uma mudança no comportamento dos leitores do Blog do Emerson, sendo que apenas 29,83% dos usuários continuavam acessando com uso do IE. Os demais, ou usavam Firefox (34,31%), ou Chrome (30,31%) ou Safari (3.33%), sendo o restante dos demais navegadores, incluídos os de tablets e smartphones.
    Você pode acompanhar a evolução do uso de navegadores no mundo, no Brasil etc., visualizando o site StatCounter e, inclusive, verificar que em 2011 o uso do Chrome no Brasil ultrapassou 40% dos usuários:

    Source: StatCounter Global Stats - Browser Market Share

    As principais opções que temos são as seguintes: Internet Explorer, Ópera, Safari, Firefox e Chrome (clique nos nomes para baixar o browser).

    Como não sou especialista, vou citar alguns “estudos” sobre o assunto, o que é melhor e que propicia a avaliação individual de cada usuário/leitor.

    • O site Baixaki fez em fevereiro de 2010, neste link (http://www.baixaki.com.br/info/3591-fevereiro-de-2010-qual-o-melhor-navegador-.htm) uma avaliação completa a respeito do assunto. Nos testes referentes aos quesitos velocidade de abertura e carregamento o vencedor foi o Chrome; já nos testes de menor consumo de memória com várias abas abertas o vencedor foi o Firefox.
    • O Terra Tecnologia, neste link (aqui), traz também várias considerações sobre qual o melhor navegador, não se limitando ao sistema operacional Windows e fazendo considerações para quem tem o Mac OS e Linux.
    • O Terra Tecnologia noticiou, em 2011, neste link (aqui), sobre a versão mais nova do Firefox (9) ser 30% mais rápida. Vale a pena conferir.
    Não foi feita nenhuma verificação quanto à segurança dos navegadores nos dois artigos citados, mas o interessante mesmo é usar a última versão do navegador que você escolheu para usar. Como já referi em outro post, o Secunia PSI ajuda a avisar quanto às vulnerabilidades existentes no seu computador e nos browsers.
    Além do Secunia, para verificar as vulnerabilidades ativas, este link - http://en.wikipedia.org/wiki/Comparison_of_web_browsers#Vulnerabilities traz informações importantes (sugestão do Sandro Süffert).

    Melhor opção de navegador para o seu computador:

    O interessante é que você pode testar qual é o melhor navegador para o seu computador, usando o site Peacekeeper - The Browser Benchmark. O Olhar Digital fez uma reportagem, abaixo, bastante explicativa.

    Eu fiz o teste no meu PC e o Chrome teve uma pontuação de 2.219 pontos enquanto que o Firefox teve 1344 pontos e o Internet Explorer apenas 494. Veja as imagens dos resultados:
    Chrome - 2219 - EW
      Comparativo Browsers 
    Assim, aliando os aspectos atuais de velocidade, uso da memória e segurança, a dica de uso de navegador da internet é o Chrome, com exceção à questão de privacidade x Google (ou seja, é mais uma forma de a Google saber tudo sobre você!!). Por isso eu uso, simultaneamente o Chrome, o Firefox e o Ópera. Aquele pela velocidade no carregamento das páginas; o segundo quando quero trabalhar com infinitas abas e o último nas investigações; o Chrome, pela forma de pesquisa no Google, que é direta na barra de endereços do navegador e pela sincronização entre máquinas; o Firefox, pela quantidade de extensões de segurança e que auxiliam na investigação policial; o Ópera, pela sincronização e segurança na investigação.
    Não deixe de ler:
    - artigo no Blog da Trend Micro: Qual é o navegador mais seguro?
    Espero que este artigo tenha auxiliado. Até a próxima!!

    (Artigo publicado em 15/04/2010. Update do post em 08/01/2011)

    terça-feira, 13 de abril de 2010

    Marco Civil da Internet no Brasil x Minuta de Anteprojeto de Lei

    Desde a quinta-feira (08/04) está aberto o debate correspondente à segunda fase das discussões referentes ao Marco Civil da Internet, agora centrado na Minuta do Anteprojeto de Lei.

     

    Veja, neste link e em .pdf, a Minuta de Anteprojeto de Lei para Debate Colaborativo.

    image Além de poder baixar o texto da Minuta, no link acima, todos os cadastrados no CulturaDigital.br podem, dentro dos próximos 45 dias, acessando esta url http://culturadigital.br/marcocivil/2010/04/07/minuta/, ler o conteúdo da minuta e, relativamente a cada artigo, parágrafo, inciso ou alínea efetuar apresentar comentários. Uma outra finalidade referenciada é que também os foros de discussão serão usados para o amadurecimento de ideias e para uma discussão irrestrita.

    Até o momento em que este artigo estava sendo escrito (12/04/2010, às 19h12min), o dispositivo da minuta com mais comentários (11) e sugestões de alteração era o Art. 14:

    A provisão de conexão à Internet impõe ao administrador do sistema autônomo respectivo o dever de manter os registros de conexão sob sigilo, em ambiente controlado e de segurança, pelo prazo máximo de 6 (seis) meses, nos termos do regulamento.

    E não é para menos, pois que fala em guardar os registros de conexão pelo prazo máximo de 6 meses. As opiniões variam, desde a não guarda de qualquer log como o aumento do tempo, especificando-se um período mínimo. Eu mesmo deixei lá um comentário e a seguinte sugestão de redação do artigo:

    A provisão de conexão à Internet impõe ao administrador do sistema autônomo o respectivo dever de manter os registros de conexão sob sigilo, em ambiente controlado e de segurança, pelo prazo mínimo de 3 (três) anos, nos termos do regulamento.

    Parágrafo único. Caso opte pela guarda de registros de conexão por tempo superior, o fornecimento só poderá ocorrer mediante autorização expressa do usuário ou ordem judicial.

    Se estou certo ou não, depende logicamente de qual raciocínio seguir. Por isso, estou seguindo a idéia referente às necessidades de uma investigação policial/criminal.

    Leia outro artigo do Blog sobre o tema: Leis de controle da internet: proteção ou censura?

    Acho fundamental que todos participem do debate. Não deixe de participar! Acesse http://culturadigital.br/marcocivil/2010/04/07/minuta/ e deixe seu comentário!
     
    A propósito da discussão, o Marco Civil da Internet será debatido hoje (13/04) em Porto Alegre no Meeting de Tecnologia da Federasul, das 12h às 14h. Veja mais detalhes aqui.
     

    sábado, 10 de abril de 2010

    Leitura Recomendada: avatares, redes sociais x benefícios x riscos

    Leitura Recomendada O Leitura Recomendada deste sábado limitar-se-á às notícias da semana relativas às redes sociais, principalmente Twitter e Facebook, sobre as quais houve um número razoável de divulgações:

    IDG Now!: Rede chinesa de ciberespionagem usa Twitter em ataques

    Pesquisadores dos EUA e do Canadá estão rastreando uma sofisticada rede de espionagem cibernética  baseada na China, chamada Shadow, que tem como alvo computadores em vários países, incluindo os sistemas pertencentes ao governo indiano e suas bases militares. Leia mais aqui.

    IG Tecnologia: Partido Trabalhista britânico demite candidato por “tweet”

    O Partido Trabalhista britânico demitiu um candidato ao Parlamento nesta sexta-feira por ter publicado comentários ofensivos no Twitter, envergonhando o primeiro-ministro Gordon Brown, a semanas de uma eleição. O candidato do distrito escocês de Moray, Stuart MacLennan, publicou comentários com palavrões sobre seu partido e sobre políticos da oposição, além de celebridades e pessoas locais no serviço de microblog. Leia mais aqui.

    Terra Tecnologia: Site pago de rede social Moshi Monster foca em crianças

    15 milhões de usuários, a maior parte crianças entre sete e 11 anos, já criaram contas no Moshi Monsters (www.moshimonsters.com), que pouco a pouco se aproxima dos líderes do segmento, como o Club Penguin, da Disney. Leia mais aqui.

    Terra Tecnologia: Britânicos recorrem ao Facebook para levar pessoas às urnas

    Os funcionários dos serviços eleitorais britânicos recorrerão pela primeira vez ao Facebook para encorajar mais pessoas a se registrarem para votar em 6 de maio, depois de uma queda histórica no comparecimento durante as duas eleições nacionais anteriores, informou a organização responsável na sexta-feira. Leia mais aqui.

    IDG Now!: Usuários desaprovam de privacidade no Facebook

    Os usuários do Facebook estão muito sensíveis em relação à privacidade online, de acordo com pesquisa recentemente publicada pela companhia de segurança de TI Sophos. Leia mais aqui.

    IDG Now!: Grupo alemão de defesa do consumidor propõe boicotar Facebook

    Um grupo de consumidores da Alemanha tem solicitado aos usuários de internet que não usem o Facebook se a empresa de rede social não voltar atrás nas mudanças propostas em sua política de privacidade. Leia mais aqui.

    IDG Now! Golpe do vale-presente no Facebook atrai 40 mil usuários em um só dia

    Uma página criada como armadilha no Facebook - e que oferecia cupons de compra de mil dólares na loja Ikea - enganou cerca de 40 mil usuários nesta sexta-feira (9/4). Leia mais aqui.

    Fugindo um pouco dos aspectos relacionados às redes sociais, mas não menos importante, cito a notícia e o artigo, respectivamente, do:

    R7 Tecnologia & Ciência: Avatares ajudam pessoas a descobrir mentiras

    Descobrir quando alguém está falando a verdade poderá ser tornar uma tarefa mais fácil em breve. Cientistas da University College London, na Inglaterra, conseguiram reproduzir o movimento dos olhos de pessoas de carne e osso em versões computadorizadas, os famosos avatares, para saber se alguém está dizendo uma mentira ou uma verdade. Leia mais aqui.

    Web Segura: As 10 pessoas da Internet mais “perigosas” que você desconhece

    Robert Hansen, mais conhecido pela grande maioria como RSnake, divulgou o que considerou a lista das 10 personalidades ou entidades mais importantes/perigosas da Internet. Leia mais aqui.
     

    Bom, por hoje é só! Boa leitura e bom final de semana a todos!!

    quinta-feira, 8 de abril de 2010

    Como recuperar senha do Orkut?

    Já escrevi, anteriormente, sobre como recuperar a senha do Hotmail e do MSN, o que está sendo um dos artigos mais lidos.

    Como recuperar senha do Hotmail/MSN?

    O artigo de hoje é para orientar as pessoas a como tentar recuperar a senha do Orkut, que é, aliás, um dos maiores vetores de criminalidade e de registro de ocorrências policiais.

    O primeiro passo, natural, é para quem esqueceu a seSenha Orkutnha: há possibilidade  de recuperá-la através da redefinição de senha via e-mail, conforme indicação da seta na imagem ao lado. O usuário será enviado para uma página onde deverá selecionar o problema existente e, após a seleção, será direcionado para a página de assistência de senha onde informará os dados do usuário ( veja o link aqui: https://www.google.com/accounts/ForgotPasswd?fpOnly=1&hl=pt_BR). Outro aspecto importante é guardar e responder à pergunta secreta. Caso você use o próprio serviço de e-mail do Google, GMAIL, para acessar sua conta Google/Orkut, a senha será automaticamente enviada para o e-mail atual selecionado como e-mail secundário. No entanto, se  usas qualquer outro serviço de e-mail, como Hotmail, Uol, Yahoo e outros), o e-mail de redefinição da senha chegará diretamente em sua caixa de entrada.

     

    Obs.: o e-mail secundário é fundamental nesse processo, por isso nunca deixe de informá-lo durante o cadastro da conta no Google.
     

    O Google informa que pode ocorrer de a senha redefinida ser enviada em até 24 horas. Portanto, pode ser um pouco demorado. No entanto, após receber o e-mail com a senha o usuário deve acessar sua conta Google/Orkut e, nas configurações, redefinir a senha para uma que seja segura, confiável e que possa ser lembrada.

    Leia este post sobre como guardar senhas com segurança.

    Se o problema não foi de simples esquecimento de senha e sim de perfil hackeado/invadido, a sugestão é seguir as seguintes recomendações:

    - Com acesso ao e-mail que usava para acessar a conta do Google/Orkut: nesse caso, se o hacker/invasor ainda não trocou o e-mail basta seguir as recomendações acima quanto ao esquecimento da senha.

    - Sem acesso ao e-mail usado para acessar a conta do Google/Orkut (e/ou no caso de o hacker/invasor ter trocado o e-mail de acesso): basta entrar em contato com o suporte neste link sequencial e preecher os dados de forma simples e objetiva: https://www.google.com/support/accounts/bin/request.py?ara=1&hl=br&contact_type=ara&ctx=ara. Aparecerá uma tela questionando-o sobre ter ou não funcionado a forma de recuperação de senha citada acima e quando você clicar em não abrirá possibilidade de preeenchimento de um formulário extenso, conforme imagem:

    image

    Como referido, o usuário deve preencher todos os itens e clicar em “enviar”. Após, deverá aguardar a resposta do suporte.

    Caso não consiga, a sugestão, baseada em informação repassada pelo próprio Google, é a seguinte:

    image O interessado deve redigir um requerimento/notificação ao Google, relatando o fato e indicando a URL (endereço do perfil do Orkut, que aparece no navegador ao acessá-lo. Também pode ser informado apenas o código numérico do perfil, constante após a indicação do “uid” na URL). Redigido o documento, anexe cópia de dois documentos, RG e CPF, e envie tudo ao endereço da Google do Brasil, na Brigadeiro Faria Lima, 3900, 5º Andar, CEP 04538-132, São Paulo, SP.

    Outra dica importante: caso o interesse seja de manter o perfil do Orkut e só reaver o acesso, é importante referir isso e indicar um e-mail de contato no corpo do documento enviado. Não há necessidade de reconhecimento de firma na assinatura!

    Bom, o Google pode analisar o requerimento e indeferir a exclusão do perfil hackeado quando restará à vítima o seguinte:

    1) caso seja crime, registre o fato em uma Delegacia de Polícia mais próxima. A autoridade policial poderá analisar o fato e solicitar a exclusão do perfil;

    2) procure um advogado, especialista em Direito Digital, buscando recuperar o acesso via judicial.

    Outro aspecto fundamental: não desrespeite os Termos de serviço e/ou Política de Privacidade do Google e, ainda, do Estatudo da Comunidade (Orkut). Caso sua conta tenha sido deletada por desrepeito a essas referências, será bem mais difícil a recuperação da conta. Mas se o usuário teve seu perfil deletado por um motivo desconhecido qualquer ou sentiu-se injustiçado por uma falsa denúncia, o suporte atende por este link: http://help.orkut.com/bin/request.py?contact=problem2.

    Na dúvida, acesse o Fórum de Ajuda do Orkut.

    Espero que este post ajude a todos que têm estes problemas. Ainda, sobre configurações de privacidade e outras dicas quanto ao Orkut, sugiro a leitura deste post:
     

    Segurança nas Redes Sociais (Parte I) - Orkut

    terça-feira, 6 de abril de 2010

    Segurança nas Redes Sociais (Parte V) – responsabilidades quanto ao que se posta na web

    Neste “suposto” último artigo da série acho por bem trazer sobre a responsabilidade, civil e penal, relativa às postagens sobre assuntos de trabalho nas redes sociais e também aspectos da responsabilidade quando o funcionário ou colaborador usa a rede corporativa de forma irregular/ilegal. Essas regras também valem para outros ambientes virtuais. Aliás, o tema foi assunto na semana que passou, conforme reportagem do G1 Tecnologia:

    A demissão de um executivo da empresa de hospedagem Locaweb anunciada na terça-feira (30) após o profissional provocar são-paulinos pelo Twitter usando o nome da companhia, patrocinadora do clube na partida contra o Corinthians, alerta sobre uma postura que, segundo especialistas, pode provocar a demissão por justa causa de um funcionário: usar indevidamente o nome da empresa em redes sociais na internet. Leia mais aqui.

    Antes de ler sobre o assunto, veja os outros artigos da série:
     

    Segundo a advogada Cristina Sleiman (em apresentação disponível aqui), os problemas que mais atingem as empresas são esses:

    Uso indevido de senha
    Vazamento Informação Confidencial
    Furto de Dados e Concorrência Desleal
    Uso não autorizado da Marca na Internet (ex: Orkut)
    Responsabilidade civil por mau uso da ferramenta de trabalho tecnológica por funcionário (uso de e-mail corporativo para fim pessoal)
    Pirataria, download de softwares não homologados, baixa de músicas, imagens, contaminação por virus e trojans
    Problemas com contratos de TI – Terceirização
    Segurança – fraude eletrônica, virus e Privacidade (Monitoramento)

    Dos problemas acima expostos, alguns podem gerar efeitos penais, cíveis e trabalhistas, quando a empresa pode até demitir o colaborador faltoso, como ocorreu no caso da Locaweb (notícia citada acima). Outros, apenas geram efeitos apenas cíveis ou apenas penais.

    Do ponto de vista penal, tratando-se da divulgação de informações consideradas estratégicas e confidenciais em redes sociais, pode-se buscar a responsabilização penal do colaborador e gerar também a sua demissão. Vejam o que dispõe os arts. 153 e 154 do Código Penal:

    Divulgação de segredo

    Art. 153 - Divulgar alguém, sem justa causa, conteúdo de documento particular ou de correspondência confidencial, de que é destinatário ou detentor, e cuja divulgação possa produzir dano a outrem:

    Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa. 

    § 1º Somente se procede mediante representação. (Parágrafo único renumerado pela Lei nº 9.983, de 2000)

    § 1o-A. Divulgar, sem justa causa, informações sigilosas ou reservadas, assim definidas em lei, contidas ou não nos sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Pena – detenção, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    § 2o Quando resultar prejuízo para a Administração Pública, a ação penal será incondicionada. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Violação do segredo profissional

    Art. 154 - Revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência em razão de função, ministério, ofício ou profissão, e cuja revelação possa produzir dano a outrem:

    Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa.

    Parágrafo único - Somente se procede mediante representação.

    Pelos artigos mencionados, o funcionário público, detentor de informações classificadas pelo sigilo, pode receber uma pena maior no caso de divulgá-las. No caso da empresa, ela tem de ter o interesse em processar o colaborador quando da divulgação de segredo ou de conteúdo de documento, quando possam produzir dano a outrem, já que o processo só se instaura “mediante representação”. Essa mesma justificativa pode ser usada para a demissão por justa causa.

    No campo cível, e trabalhista, um dos importantes aspectos a observar pela empresa é que o contrato de trabalho seja suficientemente preenchido com todas cláusulas necessárias, visando se eximir de responsabilidades.

    Desta forma, uma vez previsto no contrato que a rede será monitorada e o colaborador disso sabe, não existe qualquer impedimento de monitoramento por parte da empresa. No mesmo sentido, impregnar a empresa de uma cultura de SI (segurança da informação) é uma boa solução e forma de disseminar e manter esta boa prática de segurança virtual e/ou corporativa.

    Segundo o art. 186 do Código Civil, alguém que por ação ou omissão causar dano a outra pessoa/instituição tem o dever de reparar. Significa que a mera omissão (deixar de agir) e não só a ação (praticar um ato) também gera direito de se buscar a reparação dos danos. O fato de agir com negligência e imprudência, não tomando os cuidados necessários, também gera direito de reparação.

    Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. Código Civil. Lei 10.406/2002.

    A obrigação de reparar vem prevista nos artigos 927 e 1016 do mesmo Código Civil:

    Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

    Parágrafo único. Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem.

    Art. 1.016. Os administradores respondem solidariamente perante a sociedade e os terceiros prejudicados, por culpa no desempenho de suas funções.

    Com base nisso, civilmente a empresa pode ser responsabilizada a reparar o dando causado a outrem, mas também tem o direito de regresso em relação ao causador do dano, no caso o “colaborador faltoso”. Assim, uma ofensa feita por um colaborador da empresa a um cliente pode gerar direito deste de vir buscar reparação em juízo contra aquela, que, por sua vez, terá motivo de justa causa para demitir o autor do dano (art. 482 da Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT) e, se assim o quiser, exercer o chamado direito de regresso (busca, em relação ao colaborador, reparar o prejuízo que teve em relação à ação do, por exemplo, cliente prejudicado). Não é diferente quanto ao servidor público que, de acordo com a Lei 8.112/90, pode sofrer o processo administrativo e ser acionado pelo Estado.

    Leia mais sobre monitoramento de rede x privacidade x responsabilidade da empresa na reportagem do G1 Tecnologia do dia 26/03/2010:

    Empresa pode vigiar tudo que funcionário faz no computador do trabalho: De acordo com o advogado Renato Opice Blum, especialista em direito eletrônico, o que legitima o poder das empresas de vigiar os empregados é a própria legislação. O Código Civil prevê que o empregador é responsável por tudo o que os trabalhadores fazem usando as conexões e os equipamentos da empresa. Leia mais aqui.

    Finalizando, trago a opinião de Carlos Serrão (http://zapt.in/4Gc), falando da privacidade/segurança nas redes sociais, que deixa algumas recomendações aos internautas. Nem todas se aplicam em todos os casos às redes sociais, mas reproduzo aqui alguns desses conselhos:

    • Se usar um sistema operacional Windows, deve usar um antivírus que consiga detectar ameaças na Web e que funcione igualmente como firewall e anti-spyware;
    • Cuidado com a informação que partilha e com quem, assim como com os conteúdos que coloca nas redes sociais;
    • Reveja as politicas de partilhamento de mensagens, fotos e vídeos e âmbito das mesmas no Facebook, Orkut e outros;
    • Nunca revelar informação pessoal (detalhes de moradia, telefone etc.) ou de negócio através de redes sociais;
    • Cuidado com fotos e outros conteúdos que se colocam nas redes sociais – o que é giro hoje pode ser comprometedor no futuro;
    • Desconfiar sempre dos links e outras mensagens que sejam partilhados por “amigos” conhecidos e desconhecidos;
    • Isto é particularmente difícil, pois os serviços de redução das URL escondem os detalhes da URL original. Procure usar aqueles conhecidos e que não escondem a origem.
    • Não instalar discriminadamente aplicações no Facebook, sem saber do que se trata primeiro. Nunca, mas mesmo nunca instalar aplicações desconhecidas!
    • Em resumo: usar as redes sociais **SIM**, mas com **RESPONSABILIDADE**!

    Veja outro artigo do blog sobre como usar o Orkut, cujas dicas valem para outras redes sociais:

    Para quem gosta de entrar no Orkut e outros sites de relacionamento

     

    Esta série encerra-se por aqui, mas o assunto não, pois é bastante complexo e tende a evoluir constantemente. Referi um dia no Twitter e reproduzo aqui: o que você faz hoje na internet pode ser usado contra você amanhã!