Pular para o conteúdo principal

Facebook nega cumprimento às determinações judiciais no Brasil

Bom, como não sabíamos como seria, a tentativa era válida e a resposta preocupante se confirmou! Cheguei a postar aqui no Blog os dados de contato do escritório do Facebook no Brasil e como a situação era nova teríamos de testar a "resistência".


Algumas respostas do Facebook têm chegado por e-mail, conforme transcrição completa abaixo, informando que o Facebook não cumprirá ordens judiciais no Brasil. O cumprimento se dará tão somente através de cooperação internacional.

Veja a resposta encaminhada pelo Facebook:
Re: Request in our Case Number: 010101 
Dear Delegado Fulano de Tal: 
Thank you for contacting Facebook, Inc., a company organized under the laws of the United States and which must respond to requests for user information from law enforcement authorities pursuant to the federal Stored Communications Act ("SCA"). Under the SCA and our terms of service, a Mutual Legal Assistance Treaty request or letter rogatory is required to obtain the information you have requested. 
Please contact your Central Authority for assistance. If you have any questions regarding this case, please contact records@facebook.com 
Regards, Custodian of Records Facebook
Prepared by: Ana Baena Sanchez
Então? Qual solução? Será que teremos de ter uma nova "CPI da Pedofilia" para obrigar os diretores do Facebook a colaborar com a justiça brasileira?

A minha sugestão é para que:

- primeiro lugar: reiteração da determinação judicial, sob pena de responsabilização penal por desobediência à ordem judicial e, quem sabe, prisão de quem a descumpre;
- segundo lugar: solicitar uma ordem judicial para encaminhar ao Comitê Gestor da Internet no Brasil visando bloquear o acesso ao Facebook até o cumprimento da ordem judicial.

Radicais as sugestões?? Pode ser, mas são opções que podem levar a um equilibrio entre liberdade e responsabilidade na web, principalmente quanto ao uso e postagens na rede social referenciada!

Critiquem, opinem etc.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Tecnologia da Informação & Direito: um livro para o profissional de TIC

Após um longo período do projeto, iniciado lá em 2014 e interrompido em 2015, finalmente (não é em tom de reclamação, mas motivado pela falta de tempo!), lancamos em 2018 o livro: Tecnologia da Informação & Direito. O livro é fruto de uma parceria com a Profª Drª Ângela Kretschmann e visa a trazer aos neófitos nos estudos da interação entre as novas tecnologias e a percepção/recepção pelo Direito, especialmente no brasileiro. Um pouco sobre o livro: Existe um diálogo muito produtivo entre os profissionais da área jurídica e os da tecnológica, que promove contínuo aperfeiçoamento dos dois campos. Nesse sentido, o livro aborda uma noção geral que envolve o estudo do Direito e da Tecnologia, os principais pontos polêmicos que instigam a análise jurídica e o desenvolvimento do Direito para a solução de conflitos típicos da era digital. O enfoque é dado, em especial, após um apanhado geral do Direito, às áreas do direito do consumidor, direito à imagem, delitos cibernéti