Pular para o conteúdo principal

Controle de pais na internet: conversa e tecnologia

Ao ministrar palestras em escolas, instituições, universidades etc., vários pais, ao final da explanação, vêm me questionar sobre ferramentas e formas de acompanhamento dos filhos na web. Existem várias ferramentas, algumas  livres e sem custos, mas com poucas funcionalidades. Já escrevi sobre o assunto há dois anos (janeiro de 2010):
Controlar ou não o que os filhos veem e fazem na web?
Este post, que não tem só o objetivo de disseminar a ideia de acompanhamento dos filhos pelos pais e de apresentar uma ferramenta nacional, visa distribuir, durante um período de 15 dias, contados do dia 20/01/2012, 5 licenças aos pais que tiverem interesse em testa-la. No entanto, a principal recomendação, antes da instalação de qualquer ferramenta: sem conversa entre pais e filhos quanto ao uso seguro da web não adianta o autoritarismo do controle!
Veja uma reportagem sobre "Os perigos que a internet esconde", clicando aqui.
A ferramenta de qual falo é o Kidux, desenvolvido na empresa Kix Informática S.A., de Leandro Rodrigo Saad Cruz, em Curitiba, Paraná.

O Kidux, que pode ser testado neste link, é uma ferramenta para os pais participarem da vida online dos seus filhos, saber dos interesses das crianças/adolescentes e tomar as ações necessárias para educá-las no uso correto da Internet. Segundo Leandro, "quando não se sabe o que as crianças fazem na Internet, não é possível educar". Segundo a divulgação da empresa:
Os pais precisam conversar com seus filhos, sabendo dos interesses deles e com quem eles conversam. O Kidux serve pra isso e é uma ferramenta muito fácil de usar. Ao contrário do que existe no mercado hoje em dia, o Kidux não requer que os pais entendam de computador, nem exige muito tempo.
Para iniciar a usar - e testar gratuitamente por 30 dias - o usuário deve se cadastrar no site do Kidux e fazer o download e instalação do software em todos os computadores que as crianças, ou adolescentes, usam. Depois de instalado, o Kidux coleta informações, como sites acessados e conversas de MSN, e faz o envio de maneira segura para o banco de dados do sistema, excluindo senhas, números de cartão de crédito e outras informações sigilosas.

Para acompanhar, os pais podem entrar no site - www.kidux.com.br -, logar-se e acompanhar a atividade dos filhos, fazendo os ajustes que acharem necessários, como bloquear páginas, contatos de MSN ou limitar os horários de uso do computador.

Desktop de visualização do Kidux via web
Depois da instalação, não é necessário configurar nada no computador das crianças, podendo o monitoramento ser feito remotamente e de maneira oculta. Além da facilidade, os usuários ainda contam com funcionalidades como: 
  • a visualização remota da tela do computador
  • tratamento adequado a redes sociais
  • filtro automático de sites inadequados.
O Kidux, a partir de fevereiro de 2012, tem duas opções de investimento:

Plano Básico: R$ 9,90 por mês
Plano Premium: R$ 24,90 por mês para toda família, não importa em quantos computadores ele seja instalado (apenas para os computadores de uma família).

Para participar da promoção e concorrer às licenças (por sorteio através do Sorteie.me) o leitor tem de:

Seguir as arrobas @EmersonWendt e @Kidux e dar RT no seguinte texto:

Para concorrer a 5 licenças do Kidux, ferramenta de controle de pais, siga @EmersonWendt e @Kidux e dê RT neste link: http://kingo.to/XCP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Livro Direito & TI: Cibercrimes: debates contemporâneos sobre a ciberciminalidade

Em 2019 lançamos outro livro com destaque na área de Direito e Tecnologia da Informação. A obra Direito & TI: cibercrimes  contou com a participação de inúmeros autores do Brasil, México e Portugal. O release do livro: A cibersegurança é uma preocupação global, e as legislações têm muito a evoluir, pois a sociedade espera que o Direito resolva os problemas da Tecnologia da Informação, efetivando um controle sobre as condutas, quando essa perspectiva não é realista. O Direito tem a possibilidade de contingenciar os riscos do dia a dia de qualquer atividade, e, especialmente, o Direito Penal, deve ser a última razão de contingenciamento, estabelecendo a conduta e penas respectivas àquelas condutas que trazem danos aos dados ou a informação. Os autores: Emerson Wendt (organizador), Alberto Enrique Nava Garcés, Alesandro Gonçalves Barreto, Andrey Henrique Andreolla, David Augusto Fernandes, Diana Zanatta, Fernanda Brandt, Gabriel Araújo Souto, Iago de Pádua Grillo, Manuel David Massen