quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Controlar ou não os que os filhos vêem e fazem na web?

Essa pergunta sempre me é feita por alguma pessoa durante os cursos e palestras que ministro. E a resposta que dou é sim, temos de controlar, mesmo que moderadamente, o que os filhos estão fazendo virtualmente.

Conforme divulgado pela INFO, já em 2004 a preocupação com o assunto era grande, pois “crianças e adolescentes brasileiros entre 10 e 14 anos acessam a internet em casa e não são controlados ou censurados pelos pais”. Na pesquisa, realizada pela Módulo Education Center em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, chegou-se ao dado preocupante de que 50% dos pais não sabiam o que os filhos faziam na internet.

Se a preocupação já era grande 5/6 anos atrás, quando não havia a frede das redes de relacionamento social como Orkut, Sonico, Facebook etc. e dos blogs ou microblogs, imaginem agora com tudo isso. E mais: as crianças, com 3, 4, 5, 6, …, 9 anos já estão usando, compulsivamente, a web e os sites de relacionamento.

Mas nada está perdido! Felizmente já existem programas para o controle do que os filhos fazem no mundo virtual.

Quando lançado o Windows Vista já se teve a opção de “Controle dos Pais”, criando-se contas limitadas e controladas no computador para os filhos. O Admin do computador, ao se logar no computador automaticamente é avisado sobre o “relatório”. Você pode ver como configurar o “Controle dos Pais” neste tutorial da própria Microsoft.

No Windows 7 a opção é semelhante ao Vista, extendendo-se ao Windows Media Center, porém sem a Filtragem de Sites e Relatório de Atividades que continha o Vista. Você deve instalar/contratar controles adicionais. Você pode ver mais aqui.

Para quem procura programa bastante objetivo e personalizável a solução é o K9 Web Protection, citado pelo Fernando Panissi na coluna de hoje no G1 Tecnologia. Vale a pena ler. Porém, existem várias outras opções aqui: é uma questão de testar e ver qual se adapta ao seu interesse.

Existem, também, opções pagas como a oferecida pelo Uol e pela Host Sudeste Informática Ltda (programa chamado “Controle de Pais”). É importante observar que não são indicações, mas apenas sugestões; quem quiser fazer o controle do que os filhos navegam na internet e pagar por isso devem avaliar bem as opções!

Vocês poderão ler mais em:

- Blog Diga Não à Erotização Infantil neste post;

- Controle dos pais no MSN (várias opções), aqui;

- Controle dos pais no Megacubo, aqui.

Bom, neste post era só. Comentem e opinem. Caso tenham um bom programa de controle para a navegação na web pelos filhos é só indicar que farei o uptade do post, claro que com a referência da sugestão.

Abraço.

17 comentários:

Tony Fontoura disse...

É necessário controlar, pois a Internet pode ser muito perigosa devido à ingenuidade das crianças e adolescentes. Eu bloqueava o acesso de minha filha a certos sites (keywords) no próprio modem.

Everton do N. Siqueira disse...

O bloqueio por keywords é um erro.
Por exemplo: algumas empresas bloqueiam a palavra "sexo" por exemplo....eis que se o cidadão está procurando um artigo sobre "como ensinar sexo a seus filhos?" o site estará fechado? Acho isso um grande erro, já precisei utilizar-se de computadores que usam software como o Blokfree (que bloqueia pela barra de títulos) e precisava de um texto sobre "a sexualidade animal" para aulas de ciências, e o programa simplesmente fechou o navegador por causa da palavra "sexo", em outra, iria mostrar um texto sobre "O perigo de crianças no Orkut" que, dentre outras coisas mostrava que o acesso desse site de relacionamento por crianças era perigoso....e novamente, o software fechou o navegador
Por isso, não recomendo mesmo, o uso de softwares que bloqueiam por keywords....

Everton do N. Siqueira disse...

Abaixo trago o link de um texto que escrevi sobre um assunto (que pode ser considerado um sub-assunto desse) a pedofilia na internet:

http://pandemiadigital.blogspot.com/2009/11/internet-e-pedofilia.html

Henrique Tamiosso Machado disse...

Concordo que deve haver um controle dos pais, o grande problema é que a maioria dos pais não tem o mínimo de conhecimento sobre ferramentas e muitas vezes sobre o próprio uso do computador, o que dificulta muito o controle.

JV disse...

Emerson, meu filho tem 5 anos e brinca na web desde os 2. Atualmente ele tem um computador e um Iphone, navega sozinho a maior parte do tempo, principalmente sites de jogos e filmes (Youtube). O computador possui alguns filtros, mas é impossível ter um controle total, muitas vezes ele fica com os avós, analfabetos digitais, meu cuidado é explicar para ele o que pode ou não ver e fazer. Na minha opinião os problemas são maiores quando as crianças começam a interagir com outras pessoas, mas aí é que a educação que damos (e o dialogo e confiança) é que vão proteger das armadilhas.

Excelente texto, não é fácil ser pai da primeira geração que nasceu já com internet e todas estas tecnologias de informação!

Abs

Tony Fontoura disse...

Concordo, Everton. Bloquear por keywords hoje em dia é inútil. Eu esqueci de dizer que isso foi há 10 anos atrás, quando a Internet não era tão complicada como hoje. Não haviam proxies, por exemplo. Hoje em dia é preciso um sistema mais efetivo, mas o ponto principal do meu post, que eu queria passar, é que é necessário controlar o que nossos filhos podem ou não ver na net. Abraços, Tony.

Andréia disse...

Como dizem, melhor prevenir do que remediar... as crianças não têm noção do que é nocivo, não sabem distinguir segundas intenções em pequenos elogios feitos por "titios" nas redes de relacionamento, por exemplo. De olhos bem abertos nos sites que os filhos acessa e principalmente nos "amigos" virtuais. Abraço,

Prof. Patrícia Garcia disse...

Não tenho filhos, mas concordo que os pais devem controlá-los em relação ao conteúdo e tempo que navegam na internet. Conheço crianças que passam a maior parte do tempo navegando e vejo que isso gera problemas como: notas baixas na escola, falta de socialização, timidez, obesidade, entre outros.
Muito bom o seu texto, indiquei para vários amigos que tem filhos.
Parabéns pelo assunto abordado!
Abraços. Patrícia Garcia

henrique disse...

Concordo, com o acompanhamento e controle. Penso que alem de bloquear, o mais importante eh o dialogo, pois vc nao controla o acesso dos amigos e amigas. De toda forma, vale a pena nao oferecer oportunidade para a curiosidade e açao de criminosos!

Scarlett disse...

Realmente essa vigilância é essencial. As minhas senhas ficam gravadas no computador se meus pais quiserem entrar: nada a esconder. Tenho o Msn Plus, ele grava todas as conversas. O Gtalk também grava conversas. Então, a internet tem muitas armadilhas, devemos ficar espertos!! Muitos dos adolescentes, ou "crianças" tem muita inocência e acabam sendo manipulados, mas nem todos são assim. Acredito que tem que ter diálogo entre pais e filhos, pois é a partir do momento em que pai e filho tem uma relação boa, para que não tenha desconfianças. E no caso do filho, para que não veja como "brega" o pai que vigiar o que o ele anda fazendo na web.
Fica muito mais difícil quando o pai desconhece o mundo virtual, mas há como conhecer: com a própria ajuda do filho. Bem se este não tiver boa vontade, aí pode ficar desconfiado!!!!

Emerson adorei o blog,
Abraços
Scarlett Neves

Rodnei disse...

Ótimo artigo! Um programa que não uso mas sempre leio boas análises é o Gubble - http://www.glubble.com/ - na verdade uma extensão para o Firefox que cria um ambiente familiar fechado, onde os pais controlam de perto o que os filhos fazem na internet. O legal é que possui canal de comunicação interno, compartilhamento de fotos e vários games pra meninada. Acho que compensa uma avaliação.

Abraço,
@rodneireiz

Claudio M.O. Moura disse...

Caro Emerson,

no estágio atual da Internet e da geração cada vez mais educada nas tecnologias atuais a melhor solução e MUITA ATENÇÃO ao que seus filhos estão fazendo. Sei que isso pode ser difícil, e muitas vezes complexo, devido as atividades profissionais e sociais da maioria dos pais na vida moderna. É uma situação antiga e permeia por todas as atividades dos jovens.

Lembra-se da frase: "São 23 horas, você sabe onde seus filhos estão agora?" (talvez atualmente seja melhor: "São 2 horas da manhã, você sabe o que seus filhos estão fazendo agora?".

Muita *conversa*, principalmente com os adolescentes, sobre o que está acontecendo também faz parte daquela ATENÇÂO, que mencionei no início.

E não estou falando só de Internet.

Um grande abraço e parabéns pelo Blog,
@_cmom_
[Pai de 2 filhas e avô de 5 netos (de 13 a 19 anos)].

João Alexandre disse...

Uma ótima sugestão:

Usar o OpenDNS para "controle de pais".

é configurar o DNS no Windows (ou Linux) e colocar uma conta sem privilégios de administrador para que o filho não possa alterar essa configuração no sistema.

Veja este site para maiores informações:

http://www.guiadohardware.net/tutoriais/opendns/

Sérgio Dias disse...

Muito bom artigo, Emerson. Importante serviço para os pais.
Vou dar uma olhada nas sugestões. :)

Everton do N. Siqueira disse...

Ah...só queria lembrar uma coisa..é sempre importante, quando se trata de computadores que crianças usam, que eles sejam instalados na sala, ou em algum lugar "público" da casa..jamais no quarto, onde a criança ficará sozinha de noite....Isso torna-se ainda mais importante caso o computador tenha uma webcam....Muitas são as que, por inocência (ou por causa da natureza sexual humana mesmo rs) acabam se exibindo na webcam, são gravadas (há programas que gravam as imagens da webcam facilmente) e espalhadas por aí...

Histórias & Estórias disse...

Fiz a minha história de vida em frente ao computador. Todo o patrimônio que construi foi através deste aparelho. Viúva, o segundo filho recém nascido, fazendo roscas pra fora, comprei um tal de "XT". Comecei dai. Nunca fiz curso. Sempre ensinei. Mais ensinava, mais aprendia. Tudo no F1.

Meus filhos cresceram neste ambiente; computador.

Com o advento da internet e minha vida toda girava em torno disto, foi necessário que uma conversa séria fosse tida e algumas vezes, perdi o controle sobre isto porque meu filho mais velho ficava horas ininterruptas em frente ao pc e o mais agravante, deturpou a personalidade dele na época, tornando-o agressivo e antisocial. Conto isto, pra elucidar que o pior na internet, às vezes, mais que o conteúdo é a alienação que provoca. Com esta eu penei bastante e não há "controladores do windows".

Hoje, adultos e estudando fora, todos tem o seu equipamento e nos encontramos, falamos e trocamos informações diariamente pela net. O pior passou sem grandes seqüelas, acredito, pela formação básica e não nos controladores que eles aprendem a desbloquear.

Ebrael Shaddai disse...

Acho interessante esse "Controle dos Pais" no Vista!! Já implantei isso na conta do meu filho no meu PC. Mas assim, é realmente impossível controlar tudo. Agora que ele ainda tem dez anos é fácil...mas logo ele vai se inteirar sobre proxys alternativos para orkut e msn, formas de burlar o filtro de palavras, etc... é complicado!!

Abçs!!