Pular para o conteúdo principal

Segurança nas redes sociais (Parte I)

Há tempos vinha pensando em escrever algo sobre o que está na moda nas mídias sociais e os problemas de segurança relacionados, enfocando o questionamento sobre as redes sociais e a manutenção, de forma segura ou não, ou exclusão das contas. É isso que esta série se propõe. Então, vamos lá!
As redes sociais criadas virtualmente foram/são fundamentais para a troca de informações, contatos e encontro de pessoas. Isso é inegável, pois quem já não encontrou antigos amigos e colegas no Orkut?! Porém, junto com elas vem o afetamento da privacidade e coisas que eram restritas/privadas acabam tornando-se públicas: é o efeito normal de “abrir” determinados comportamentos e informações na web.
Tem uma abordagem interessante sobre isso no Blog Coisas e Boas, aqui, e também uma pesquisa com inúmeros dados sobre os hábitos dos brasileiros perante as mídias sociais. Veja:





Redes Sociais Aliás, as redes sociais afetam os relacionamentos de uma forma bastante geral, principalmente no trabalho. Assim, tanto podem ser usadas para o “bem” quanto para o “mal”. Segundo divulgado, no Empreendendorismo e Inovação, em 2009 no Estado de São Paulo os órgãos públicos liberaram, por Decreto do Governo do Estado, os acessos às redes sociais, tais como o Orkut, Twitter, Facebook etc, justamente tentando abranger e atender parte da população acostumada a usá-las.
Aí vemos um uso útil e público das redes sociais. Mas e quando elas se tornam perigosas ou desnecessárias? Vejam uma notícia, de 2009, sobre as redes sociais serem o principal alvo dos hackers naquele ano.
Pessoalmente, durante estes dois últimos anos, à frente do Curso de Crimes Praticados pela Internet no Rio Grande do Sul, vi/ouvi inúmeras situações citadas pelos alunos. Dentre elas, as imensa quantidade de informações que eles postavam no Orkut, inclusive com telefones celulares de contato, endereços residencial e comercial etc., e, depois das aulas iniciais, explicando-lhes os problemas e riscos, vários ou acabavam restringindo as informações ou deletando a conta, fazendo, então, o chamado “suicídio virtual”. Aliás, acrescento um dado apenas: muitos deles sequer haviam feito uma pequena pesquisa pelo nome (entre aspas) no Google e se surprendiam com as informações que achavam sobre si. A propósito, você ja fez isso?
Colocando isso e em face de sempre haver a pergunta “como faço para deletar a minha conta do twitter, do orkut, do facebook?”, pretendo, neste e nos próximos posts tratar disto, motivo pelo qual estarão numerados e referenciados. Vou procurar fazer isso do específico para o geral, pois existem ferramentas que ajudam a se livrar dessas redes sociais sem ir para o site específico.
Hoje vou referenciar como cometer o chamado “orkuticídio”, que você poderá fazer sem que isso afete os outros serviços agregados do Google (ah … você não sabe quais os serviços que usa do Google então veja no Dashboard, faça o login e verifique tudo o que a empresa citada sabe sobre você!).
Para deletar o orkut você pode ir para este link, acessar sua conta e encaminhar a exclusão da sua conta, conforme imagem abaixo.
Orkut - Delete
Como você pode ver na imagem, há a orientação para clicar no link chamado “Excluir minha conta”, bem como, após feito o procedimento, não acessar novamente a conta, que estará em processo de exclusão, pois essa ação “poderá restaurar a conta”.
Mas se você não quiser deletar a conta, porém torná-la mais segura e comOrkut - Settings menos exposição das informações, a sugestão é que vá em “configurações” e depois em “privacidade” (veja imagem ao lado) e restringir todas as permissões que lhe convierem, principalmente o que as pessoas podem visualizar em termos de fotos, vídeos, recados etc. Caso você queira ver outras orientações veja o que escrevi sobre o assunto no ano passado e leia aqui sobre as recomendações do que podes publicar ou não no seu perfil do Orkut (são apenas sugestões!). Também, o Guia do PC elaborou um tutorial sobre como proteger suas imagens nas redes sociais. Veja aqui.
Bom, você foi vítima de um perfil falso ou subtraíram sua conta do Orkut, você também pode ler sobre como proceder clicando aqui.
Bom, por hoje é só. Se fosse dar uma opinião, sugiro que sigam o caminho do meio, ou seja, restrinjam as informações e testem o uso assim. Caso mesmo assim não se adaptem, sugiro que sigam para o “suicídio virtual”. No próximo post da série falarei das configurações e exclusão da conta do Twitter.
Texto publicado, originalmente, no site O Melhor do Marketing.

Comentários

Agulha3al disse…
Bom dia Dr. Emerson! realmente muito importante seu texto!!! As redes sociais se tornam cada vez mais parte do dia a dia de muitas pessoas, e várias se descuidam de princípios básicos de segurança!!!
Eu mesmo tenho vários exemplos entre amigos:desde ingênuos que colocaram o próprio CEP na rede, a "ditos especialista em IT" dizendo que anti-virus não serve para nada...
Considero um assunto chato, mas que merece ser martelado várias vezes!!!
P.S. já que vai fazer um série, porque depois de concluido não coloca como e-book e disponibiliza em uma campanha na rede?
Um abraço!
emersonwendt disse…
Valeu pelo comentário e pela dica do e-book. Vou ver como fazê-lo depois, mas desde já agradeço.

Abraço!
Anônimo disse…
VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................
David disse…
As redes sociais estão a ter uma maior importância na web e com isso cresce o risco de segurança muito devido à falta de formação de quem as usa e também de quem fornece o serviço.

Definitivamente um bom artigo no qual aguardo pela continuação.

Abraço

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Tecnologia da Informação & Direito: um livro para o profissional de TIC

Após um longo período do projeto, iniciado lá em 2014 e interrompido em 2015, finalmente (não é em tom de reclamação, mas motivado pela falta de tempo!), lancamos em 2018 o livro: Tecnologia da Informação & Direito. O livro é fruto de uma parceria com a Profª Drª Ângela Kretschmann e visa a trazer aos neófitos nos estudos da interação entre as novas tecnologias e a percepção/recepção pelo Direito, especialmente no brasileiro. Um pouco sobre o livro: Existe um diálogo muito produtivo entre os profissionais da área jurídica e os da tecnológica, que promove contínuo aperfeiçoamento dos dois campos. Nesse sentido, o livro aborda uma noção geral que envolve o estudo do Direito e da Tecnologia, os principais pontos polêmicos que instigam a análise jurídica e o desenvolvimento do Direito para a solução de conflitos típicos da era digital. O enfoque é dado, em especial, após um apanhado geral do Direito, às áreas do direito do consumidor, direito à imagem, delitos cibernéti