terça-feira, 8 de setembro de 2009

Curso de Analista de Informação - Rondônia

Prezados,

Destaco a notícia, retirada do site do Governo do Estado da Rondônia, o qual refere a formação de policiais no Curso de Analista de Informação, cujo conteúdo inclui a investigação dos crimes virtuais, ministrado por mim, tanto em Ji-Paraná (interior) quanto em Porto Velho:

Em Rondônia, policiais, delegados e oficiais da Capital de do interior participam de curso de Analista de Informação para o combate a crimes virtuais e tecnológicos.

A iniciativa, que visa reprimir umas das mais novas e ameaçadoras modalidades criminosas do mundo, é resultante da parceria entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp-MJ) e o governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec).

A primeira turma do curso, formada por 20 policiais das Delegacias Regionais do Interior, se forma nesta quinta-feira. A solenidade de encerramento será realizada nas dependências do 2º Batalhão da Polícia Militar em Ji-Paraná. “O curso teve início dia 19 de agosto. Os policiais que participaram reforçarão o trabalho da inteligência da polícia”, destacou o secretário de segurança, Evilásio Silva Sena.

Em Porto Velho, onde 22 policiais participam do curso, as aulas estão previstas para se encerrar na terceira semana de setembro. A organização do curso está a cargo da Comissão de Capacitação Integrada da Sesdec.

A preocupação da Sesdec com os crimes virtuais e eletrônicos é justificada pelo alto índice desse tipo de crimes no Brasil, que conquistou o título de maior laboratório do ‘cibercrime’ em todo o mundo, segundo um levantamento feito pela mi2g (empresa internacional especializada em segurança).

De acordo com a empresa britânica de segurança da informação, a cópia de software e dados protegidos por direitos autorais e pirataria, bem como o vandalismo on-line, são alguns dos métodos ilícitos cada vez mais adotados por hackers brasileiros.

Outro recorde alcançado pelos piratas do Brasil foi o número de grupos de hackers na lista TOP 10, dos "dez mais ativos". O Brasil ocupa todas as posições, os dez grupos hackers que mais atuaram durante o mês de novembro de 2002 são brasileiros. Desses, os cinco mais ativos são BYS (Breaking Your Security), Ir4dex, Endiabrad0s, Virtual Hell e rya (Rooting Your Admin).

Com isso, eles conseguiram fazer com que o português se tornasse a língua oficial do movimento hacker na internet.

Agradeço ao convite honroso do Dr. André Fagundes, chefe da GEI (Gerência de Estratégia e Inteligência) da SESDEC/RO.

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse curso é essencial para carreira de um policial, obrigado pelas instruções. Abraço! Apocalipse AFO-RO