Pular para o conteúdo principal

Livro Investigação Criminal - Provas

Recentemente foi lançado o livro "Investigação Criminal: provas", organizado em conjunto com o Dr. Fábio Motta Lopes.
 
A evolução constante da sociedade, da legislação e, consequentemente, da demanda crescente de trabalho das Polícias Judiciárias, estão intrínsecos neste livro com tema específico sobre a prova na investigação criminal, escrito por profissionais da área que, além de exercerem a função de repressão, também são pesquisadores do Direito Policial, incorpora, ainda, a contribuição de pesquisadores e profissionais de outras áreas relativas à investigação criminal, inclusive do Poder Judiciário. Essas falas, por assim dizer, fazem com que o debate aflore e se busque, diante da crítica à prática, a sua evolução frente à sociedade contemporânea e complexa.
 
O livro, à venda neste link, é o segundo do que pretende ser uma série sobre "Investigação Criminal". Já estamos pensando nos próximos, com temas como "Interceptação de Sinais", "Tráfico de Drogas e Lavagem de Dinheiro" e "Mediação de Conflitos", por exemplo. Caso tenham interesse em colaborar, podem nos contatar e enviar sua contribuição.
 
Autores deste livro:
 
EMERSON WENDT
É Mestrando em Direito e Sociedade (Unilasalle, Canoas-RS). Delegado de Polícia Civil no RS.

FÁBIO MOTTA LOPES
É Mestre em Direito (ULBRA). Especialista em Direito Penal e Processo Penal (ULBRA). Professor de Direito Penal da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professor nas especializações em Direito Penal e Processo Penal da UNISINOS, da Faculdade IDC, da Uniritter e da Fundação Escola Superior do Ministério Público/RS. Professor da Academia de Polícia do Rio Grande do Sul. Delegado de Polícia no Rio Grande do Sul.

CHRISTIAN NEDEL
É Delegado de Polícia, Titular da Primeira Delegacia de Polícia para o Adolescente Infrator, do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente, da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul (1ª DPAI/DECA/PC). Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais e Mestre em Ciências Criminais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professor das Faculdades Integradas São Judas Tadeu (SJT), do Instituto de Desenvolvimento Cultural .

DIÓGENES VICENTE HASSAN RIBEIRO
É Professor titular do PPGD UNILASALLE/CANOAS/RS; Professor titular da graduação, Direito Constitucional I, UNILASALLE/CANOAS/RS; Desembargador 3ª Câmara Criminal do TJRS; Doutor em Direito Público (UNISINOS, 2006); Mestre em Direito Público (UNISINOS, 2001).

ALESANDRO GONÇALVES BARRETO
É Especialista em Ciências Criminais pela Universidade Federal do Piauí. Delegado de Polícia Civil do Estado do Piauí.

ANDRÉA DE MELO DA ROCHA MATTOS
É Pós-Graduada em Segurança Pública (Universidade Católica de Brasília – DF). Delegada de Polícia Civil no RS.

BOLÍVAR DOS REIS LLANTADA
É Mestre em Ciências Criminais pela PUCRS. Delegado de Polícia no RS.

CRISTIANO RIBEIRO RITTA
É pós-graduando em Direito Constitucional Aplicado (Instituto Damásio de Jesus). Delegado de Polícia Civil no RS.

DEMÉTRIO PEIXOTO
É Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUCRS; Especialista em Segurança Pública e Cidadania pela UFRGS; Professor da Academia da Polícia Civil/RS; Perito em Veracidade; Inspetor da Polícia Civil/RS; atua junto à Divisão de Contrainteligência Policial do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos da Polícia Civil/RS.

FELIPE FAORO BERTONI
É Advogado; Mestre em Ciências Criminais pela PUCRS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. 

GEORGE ESTEFANI DE SOUZA DO COUTO
É Delegado de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal. Diretor da Divisão de Inteligência Policial da PCDF. Coordenador do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro da PCDF. Membro do Comitê Técnico de Revisão da DNISP.

GRETA MOURA ANZANELLO
É Delegada de Polícia no RS.

GUSTAVO BERMUDES MENEGAZZO DA ROCHA
É Pós-graduado em Ciências Penais (Universidade Anhanguera-Uniderp, Campinas/SP). Delegado de Polícia Civil no Estado do Rio Grande do Sul.

IVAN CARLOS DA SILVA
É Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais (UMSA – Buenos Aires – AR). Inspetor de Polícia Civil no RS.

RAFAEL SOCCOL SOBREIRO
Mestrando em Ciências Criminais (Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS). Delegado de Polícia Civil no RS.

RAUL SOUZA VIER
É Delegado de Polícia Civil no Estado do Rio Grande do Sul; Especialista em Direito do Estado (UFRGS); Especialista em Direito Penal e Política Criminal (UFRGS); Professor universitário e em cursos preparatórios para concursos públicos e Exame de Ordem (OAB).

THIAGO BOSAK DEMUTTI
É Inspetor de Polícia no RS. Pós-graduado em Direito Penal Econômico. RS.

VALQUIRIA PALMIRA CIROLINI WENDT
É Mestranda em Direito e Sociedade (Unilasalle, Canoas RS), Especialista em Gestão da Investigação Criminal. Inspetora da Polícia Civil no RS.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook:
Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil.
Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDARua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000
- Fonte: Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas forças da lei (law enforcemen…

Recomendações a pais, professores e escolas quanto às ameaças de atentado

Pós fato Suzano/SP, o alvoroço nas mídias sociais foi muito grande. Em alguns Estados mais do que outros. Muita trollagen para gerar pânico. Sendo assim, é importante algumas precauções por parte dos colégios/escolas:

Existência de meios físicos de contenção e controle:

- catraca/controle eletrônico de acesso
- controle de entrada e saída de visitantes, com registros de dados
- videomonitoramento, com gravação por pelo menos 10 dias. Ideal é 30 dias

Mecanismos preventivos:

- formatar equipe (interna ou mista interna/externa) de avaliação de ameaças;
- definir comportamentos por ordem de risco e necessidade de contingenciamento;
- definir condutas que demandam intervenção imediata (por exemplo, porte de arma, postagem em redes sociais);
- criar e gerir um sistema anônimo que permita reportar informações com condutas de risco (e-mail, telefone etc.);
- promover ambiente alicerçado em uma cultura de segurança, respeito, confiança e apoio emocional;
- incentivar alunos a compartilhar suas …

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica. 


Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados, fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão.


Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão, especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui.

Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.