Pular para o conteúdo principal

Como denunciar ofensas e pornografia no Facebook

Há muito tempo escrevi sobre como denunciar situações detectadas no Twitter. Provocado que fui, é importante trazer a forma de denunciar questões danosas no Facebook.
Leia mais: Saiba como denunciar pornografia infantil detectada no Twitter
No entanto, antes de iniciar é importante esta observação: nada substitui a preservação das evidências e o registro dos fatos nos órgãos oficiais (Polícia Civil ou Federal, de acordo com a atribuição). Sobre denúncias online, a Polícia Civil do RS possui o "Denuncie" (www.pc.rs.gov.br).
Leia mais: Órgãos especializados no combate aos crimes virtuais e denúncias online
Bom, vamos lá: no Facebook existem duas situações. Ou você tem conta ou não tem. Tendo conta, as opções são variadas. A própria rede social traz as orientações, nos diversos casos: linha do tempo, anúncios, eventos, grupos, mensagens, páginas, fotos e vídeos, publicações, publicações na sua linha do tempo, perguntas e algo que você não consegue visualizar.

O link do Facebook para "denunciar problemas", com todas as orientações é este: https://www.facebook.com/help/www/181495968648557. Visando auxiliar, a comunidade do Brasil do Facebook fez um vídeo de orientação. Veja:
Importante referir que o Facebook contém orientações específicas para, por exemplo, os casos de Bullying, voltadas tanto para adolescentes quanto para pais (leia mais aqui). Nestes casos, bastante comuns nas redes socias, as orientações vão desde a detecção de situações em relações a terceiros quanto àquelas em que, por exemplo, os filhos estão sofrendo bullying pela rede.

Caso o interessado não possua uma conta, o Facebook possui orientações específicas. A principal é o preenchimento deste formulário (aqui) no caso de abusos. No caso de alguém estar se passando por você, basta preencher este formulário, denunciando o que o Facebook chama de "conta impostora". Interessante que para cada opção existe uma sequência de orientações:


Quando alguém pretender denunciar algo que não consegue ver, a melhor forma de denunciar abuso no Facebook é usar o link de denúncia ao lado do conteúdo que se deseja denunciar. Porém, caso você não consiga usar um link de denúncias pois não tem uma conta no Facebook ou não consegue visualizar o que você está tentando denunciar, faça uma denúncia aqui. Da mesma forma, para cada opção, há uma orientação de sequência diferente:


Ainda e principalmente, existem orientações próprias de como denunciar itens inapropriados ou abusivos no Facebook, como, por exemplo, as situações de pornografia, discurso de ódio, ameaças etc. O Facebook promete remover itens que violam os Termos do Facebook (ex: pornografia, discurso de ódio, ameaças, violência gráfica, bullying e spam). Se qualquer usuário se deparar com algo no Facebook que viole esses termos (veja o link anterior), utilize o link de denúncia ao lado do item abusivo para enviar uma denúncia.

Da mesma forma, existem outras ferramentas mais simples para lidar com abuso. Quando a pessoa estiver frente a algo que não lhe agrade no Facebook, mas que não viole os referidos termos, ela pode (clique nos links para mais orientações):
Ocultar do Feed de notícias
Enviar uma mensagem à pessoa responsável pela publicação do item que está te incomodando e solicitar que ela o exclua.
Desfazer amizade ou bloquear a pessoa responsável

Boa leitura! Deixe sua colaboração ou dúvida aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Livro Direito & TI: Cibercrimes: debates contemporâneos sobre a ciberciminalidade

Em 2019 lançamos outro livro com destaque na área de Direito e Tecnologia da Informação. A obra Direito & TI: cibercrimes  contou com a participação de inúmeros autores do Brasil, México e Portugal. O release do livro: A cibersegurança é uma preocupação global, e as legislações têm muito a evoluir, pois a sociedade espera que o Direito resolva os problemas da Tecnologia da Informação, efetivando um controle sobre as condutas, quando essa perspectiva não é realista. O Direito tem a possibilidade de contingenciar os riscos do dia a dia de qualquer atividade, e, especialmente, o Direito Penal, deve ser a última razão de contingenciamento, estabelecendo a conduta e penas respectivas àquelas condutas que trazem danos aos dados ou a informação. Os autores: Emerson Wendt (organizador), Alberto Enrique Nava Garcés, Alesandro Gonçalves Barreto, Andrey Henrique Andreolla, David Augusto Fernandes, Diana Zanatta, Fernanda Brandt, Gabriel Araújo Souto, Iago de Pádua Grillo, Manuel David Massen