Pular para o conteúdo principal

Portugal: “Agente encoberto”, a nova arma contra o cibercrime



A nova Lei do Cibercrime entra em vigor esta quinta-feira e com ela chegam novas regras, onde se inclui o chamado “agente encoberto” para atacar, por exemplo, a pedofilia na Internet.

Este é o segundo diploma do género a entrar em vigor no espaço de três meses, uma vez que já desde Agosto as operadoras de telecomunicações são obrigadas a guardar os dados dos seus clientes durante um ano.

Os diplomas têm ambos origem em directivas comunitárias e, juntas, são consideradas fundamentais para combater o crime informático. Não só porque substituem legislação em vigor há 18 anos, como introduzem conceitos até aqui inexistentes na lei nacional.

Em causa está, em primeiro lugar, a Lei da Conservação e Transmissão de Dados, que obriga as operadoras a guardar registos durante um ano e que entrou em vigor em Agosto e, agora, entra em vigor esta quinta-feira a chamada Lei do Cibercrime, que vem actualizar a tipificação dos crimes, as respectivas sanções penais, mas também dar algumas novas ferramentas às policias.

No caso da Conservação dos Dados a que as operadoras de telecomunicações agora ficam obrigadas, a ajuda nas investigações é indiscutível.

Carlos Cabreiro, o coordenador do combate ao crime informático da Polícia Judiciária, revela que, actualmente, só era possível aceder a dados com três ou quatro meses, o tempo que as empresas precisavam para facturar serviços. Esse curto espaço de tempo, inviabilizava muitas investigações.

A esta nova possibilidade junta-se agora a Lei que actualiza o nome que é dado a alguns crimes, sobretudo as inúmeras variantes com que os investigadores vão sendo surpreendidos.

“Vem definitivamente clarificar a existência do crime relacionado com a difusão de vírus, vem punir a produção, venda e distribuição de programas maliciosos e existem depois os crimes de falsidade informática”, explica Carlos Cabreiro.

Para além de aproximar o texto legislativo da realidade, esta nova Lei do Cibercrime também prevê avanços operacionais, alguns deles aqui descritos por Carlos Cabreiro: “a nossa inclusão numa rede de contactos 24 horas, sete dias por semana, que será um serviço de prevenção ao crime informático em todo o mundo, temos também uma nova possibilidade de acções encobertas na Internet”.

Os agentes encobertos, por exemplo, irão com toda a certeza actuar em “chats” de conversação habitualmente usados por pedófilos ou até mesmo para perseguir quem usa o chamado “phishing”, burla sobre a qual existem actualmente 300 inquéritos na Judiciária.

Com estes dois novos diplomas, que por serem transpostos de directivas comunitárias também têm a vantagem de uniformizarem práticas e linguagens em toda a Europa, a Polícia Judiciária diz que estão alcançados objectivos prioritários.

Fonte: site Renascença - Portugal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook:
Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil.
Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDARua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000
- Fonte: Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas forças da lei (law enforcemen…

Recomendações a pais, professores e escolas quanto às ameaças de atentado

Pós fato Suzano/SP, o alvoroço nas mídias sociais foi muito grande. Em alguns Estados mais do que outros. Muita trollagen para gerar pânico. Sendo assim, é importante algumas precauções por parte dos colégios/escolas:

Existência de meios físicos de contenção e controle:

- catraca/controle eletrônico de acesso
- controle de entrada e saída de visitantes, com registros de dados
- videomonitoramento, com gravação por pelo menos 10 dias. Ideal é 30 dias

Mecanismos preventivos:

- formatar equipe (interna ou mista interna/externa) de avaliação de ameaças;
- definir comportamentos por ordem de risco e necessidade de contingenciamento;
- definir condutas que demandam intervenção imediata (por exemplo, porte de arma, postagem em redes sociais);
- criar e gerir um sistema anônimo que permita reportar informações com condutas de risco (e-mail, telefone etc.);
- promover ambiente alicerçado em uma cultura de segurança, respeito, confiança e apoio emocional;
- incentivar alunos a compartilhar suas …

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica. 


Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados, fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão.


Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão, especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui.

Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.