Pular para o conteúdo principal

Uma vida de presente

Uma vida de presente, por Estella Maris Simon*

Por mais que as poderosas ferramentas do marketing contemporâneo nos bombardeiem com mensagens comerciais acerca do Dia das Crianças, e da importância de fazer uma criança feliz com brinquedos comprados em shopping centers, há presentes de muito mais valor e de custo praticamente zero: são os valores de vida.

Historicamente, os valores pelos quais pautamos nossas vidas eram transmitidos pela chamada tríade da difusão cultural: família, escola e igreja. Esta última vem perdendo espaço, cada vez mais, para a mídia. A tendência reforça a importância de a escola, mas sobretudo de a família, cumprir seu papel de educador de nossas crianças. E essa educação se dá, normalmente, pelos exemplos. Ao presenciar a atitude e a postura de seus pais no trânsito – como dirigem, atravessam a rua ou realizam qualquer ação –, as crianças estão tendo uma aula de como devem se portar.

Muito provavelmente a correria do dia-a-dia, sobretudo quando um terço dos lares brasileiros já é chefiado por uma mulher, leva os pais a quererem “terceirizar” a educação de seus filhos para as escolas. A expectativa é de que essas instituições, além de conteúdos, transmitam e construam os valores que nossas crianças necessitam para se tornarem cidadãos responsáveis no futuro breve. Uma pesquisa do início dos anos 2000 mostrou que o tempo médio de convivência de um executivo com seus filhos é de sete minutos por dia e, nesse contexto, fica realmente difícil construir valores em família. Difícil, mas não impossível.

Se o risco de acidentes de trânsito aumenta na faixa dos oito aos nove anos de idade, como mostram as estatísticas, é sobremaneira importante que elas tenham de casa as noções básicas de como sobreviver a esse ambiente por vezes inóspito e cruel. Não é preciso necessariamente assustar, mas pelo menos conscientizar, pois elas não crêem na morte, uma vez que nos desenhos animados os personagens passam por todo tipo de situação perigosa sem maiores conseqüências. Assim, em vez de falar em morte, é melhor dizer que vai se machucar muito e que vai doer bastante, em caso de um acidente, e assim a rua não é lugar apropriado para brincadeiras.

Mas palavras são vazias se não estiverem acompanhadas de atos seguros por parte de nós, adultos. É preciso se comportar como um pai, uma mãe, um familiar, que zela verdadeiramente pela segurança e cidadania no trânsito, e é nesse exemplo que as crianças vão reparar. Por isso, no Dia da Criança, dê uma lição de vida a seus filhos. Afinal, o melhor presente é dar um futuro.

*DIRETORA-PRESIDENTE DO DETRAN/RS

PUBLICADO NO JORNAL ZERO HORA DE 09/10/2008

HTTP://ZEROHORA.CLICRBS.COM.BR/ZEROHORA/JSP/DEFAULT2.JSP?UF=1&LOCAL=1&SOURCE=A2231329.XML&TEMPLATE=3898.DWT&EDITION=10859&SECTION=1012

Comentários

Unknown disse…
Jamais vou esquecer a lição da carroça a partir de hoje vou prestar muita atenção nos momentos de falar o que penso.Renata

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Livro Direito & TI: Cibercrimes: debates contemporâneos sobre a ciberciminalidade

Em 2019 lançamos outro livro com destaque na área de Direito e Tecnologia da Informação. A obra Direito & TI: cibercrimes  contou com a participação de inúmeros autores do Brasil, México e Portugal. O release do livro: A cibersegurança é uma preocupação global, e as legislações têm muito a evoluir, pois a sociedade espera que o Direito resolva os problemas da Tecnologia da Informação, efetivando um controle sobre as condutas, quando essa perspectiva não é realista. O Direito tem a possibilidade de contingenciar os riscos do dia a dia de qualquer atividade, e, especialmente, o Direito Penal, deve ser a última razão de contingenciamento, estabelecendo a conduta e penas respectivas àquelas condutas que trazem danos aos dados ou a informação. Os autores: Emerson Wendt (organizador), Alberto Enrique Nava Garcés, Alesandro Gonçalves Barreto, Andrey Henrique Andreolla, David Augusto Fernandes, Diana Zanatta, Fernanda Brandt, Gabriel Araújo Souto, Iago de Pádua Grillo, Manuel David Massen