Pular para o conteúdo principal

Entrevista: Aplicativo mapeia assaltos em Porto Alegre

Programa aponta lugares onde ocorreram os assaltos
Fonte: Band/RS
Reproduzo notícia divulgada pela Band/RS, mais especificamente pelo Metro Porto Alegre, referente a um novo aplicativo, para dispositivos com iOS, para pontuar locais de assaltos, furtos etc.

B.O. Coletivo quer divulgar locais de violência e proteger as pessoas

Os cartazes colados nos pontos onde alguém foi roubado escritos “Aqui fui assaltado” ganharam uma versão digital. A iniciativa colaborativa B.O. Coletivo lançou ontem um aplicativo de mesmo nome gratuito para iPhone, que visa mapear os locais onde os assaltos são cometidos e alertar os demais usuários. O recurso será disponibilizado para o sistema Android até o fim do mês.

Projetado há dois meses, o aplicativo pretende evitar que novos assaltos ocorram em locais onde o delito já foi realizado. “No cartaz bate chuva, vento, alguém arranca. No meio digital a informação dura muito tempo”, explica o idealizador do programa, Ricardo Maluf, da capital.

O usuário só precisará baixá-lo na Apple Store que passa a ficar automaticamente inserido no sistema. Para comunicar uma denúncia, basta enquadrá-la entre as opções roubo, furto, sequestro ou outros e dar uma breve descrição do que ocorreu. Além de telefones como o da Polícia Civil, Militar, Samu e Corpo de Bombeiros, o aplicativo também tem links diretos para registrar o boletim de ocorrência on-line em delegacias de polícia.

Como utiliza o Google Maps, o mecanismo criado em Porto Alegre pode ser utilizado em qualquer canto do mundo. No primeiro dia do B.O. Coletivo, os criadores surpreenderam-se com o volume de denúncias de assaltos vindas de Maceió.

Denúncias online

Por meia das ocorrências registradas, a Polícia Civil já realizou um mapeamento das regiões de risco. De acordo com o diretor do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos da Polícia Civil, delegado Émerson Wendt, informações minuciosas dos assaltos não costumam chegar pela internet. Por enquanto apenas sete tipos de ocorrências podem ser feitas online, mas Wendt informa que a intenção é de uma ampliação para 25 tipos.

“Todo o sistema depende da interação com a desenvolvera, mas já há um estudo para aprimorar”, relata o delegado.

Fonte: Band/RS, neste link.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Tecnologia da Informação & Direito: um livro para o profissional de TIC

Após um longo período do projeto, iniciado lá em 2014 e interrompido em 2015, finalmente (não é em tom de reclamação, mas motivado pela falta de tempo!), lancamos em 2018 o livro: Tecnologia da Informação & Direito. O livro é fruto de uma parceria com a Profª Drª Ângela Kretschmann e visa a trazer aos neófitos nos estudos da interação entre as novas tecnologias e a percepção/recepção pelo Direito, especialmente no brasileiro. Um pouco sobre o livro: Existe um diálogo muito produtivo entre os profissionais da área jurídica e os da tecnológica, que promove contínuo aperfeiçoamento dos dois campos. Nesse sentido, o livro aborda uma noção geral que envolve o estudo do Direito e da Tecnologia, os principais pontos polêmicos que instigam a análise jurídica e o desenvolvimento do Direito para a solução de conflitos típicos da era digital. O enfoque é dado, em especial, após um apanhado geral do Direito, às áreas do direito do consumidor, direito à imagem, delitos cibernéti