Pular para o conteúdo principal

E-mail sobre chaves magnéticas de hotéis: realidade ou pulha virtual?

Por sugestão do Dr. Renato de Araújo Cardoso, Delegado de Polícia em Minas Gerais e Gestor de Inteligência Estratégica junto à Coordenação-Geral de Inteligência da Senasp/MJ, faço a avaliação sobre um e-mail que circula por aí e que faz referência às chaves magnéticas usadas em hotéis.
Veja o texto do e-mail:
Alguma vez vc já se perguntou o que está armazenado nas chaves magnéticas (que se assemelham aos cartões de crédito) dos hotéis?
Veja a resposta e mude seus hábitos:
a. Nome do hóspede
b. Endereço parcial do hóspede
c. Número do quarto do hotel
d. Datas do check-in e ckeck-out
e. Número do cartão de crédito, e sua data de validade, do hóspede!

Quando você as devolve na recepção, suas informações ficam lá disponíveis para qualquer funcionário com acesso ao scanner do hotel. Ou ainda, um funcionário pode levar um monte delas para casa e, utilizando um aparelho de scanner magnético, ter acesso às suas informações e sair gastando pela Internet.
Simplificando, os hotéis não apagam as informações das chaves magnéticas até que um novo hóspede faça uso delas, quando suas informações sobrescreverão as do antigo hóspede. Mas até que a chave seja re-utilizada, ela fica, geralmente, na gaveta da recepção com as suas informações nela!
Resumindo:
Guarde com você suas chaves magnéticas, leve-as para casa ou as destrua.
Nunca as deixe no quarto, no lixo do banheiro e NUNCA as devolva para a recepção quando estiver fazendo o check-out . Os hotéis não podem cobrar pelas chaves (é ilegal) e você terá certeza de que não estará deixando um monte de informações pessoais valiosas que podem ser facilmente acessadas, e utilizadas, com um scanner magnético.
Pela mesma razão, se você chegar ao aeroporto e descobrir que ainda está carregando a chave com você, não a jogue nas cestas de lixo. Leve-a para casa e a destrua com uma tesoura, cortando principalmente a faixa magnética nas costas da chave.

Informação: Departamento Policial Federal
Como podem ver, o e-mail vem assinado, em tese, pela Polícia Federal. Verdadeiro? Aliás, a sugestão do Dr. Renato de Araújo Cardoso era de que o assunto fosse verdadeiro eu deveria escrever algo no meu blog. Porém, justamente por não ser verdadeiro o conteúdo dessa corrente que segue pela web é que escrevo.
Embora não tenha encontrado nada a respeito em sites especializados em hoax (embustes/pulhas virtuais) – como o Quatro Cantos ou E-Farsas –, não tem como não afirmar uma coisa: trata-se de uma pulha virtual, bem elaborada é claro!
E por que é um hoax? Primeiro, pelo “clima de terror”, a conspiração mencionada e o famoso “repasse para amigos e familiares”, coisas típicas de pulhas virtuais; segundo, os criadores de um hoax sempre vinculam o alerta a uma pessoa ou órgão/organização que possui confiança perante a população; terceiro, porque os cartões apenas guardam informações referentes à data e a hora do check-in e do check-out. Vocês poderão ver um pouco mais na resposta ao assunto aqui; quarto, mesmo que o cartão magnético dos hotéis contemplasse todas essas informações, o uso errôneo delas pelo próprio hotel ou por algum funcionário geraria direito à indenizações.
Ademais, finalizando, o hotel ao hospedar alguém assume sobre o dever de confidencialidade das informações prestadas pelos clientes.
Mesmo não sendo verdadeiro o assunto do e-mail, cabem seguir as recomendações quanto ao uso de cartões de crédito pela Febraban.
Caso alguém queira ler mais sobre o assunto: Tarcisio Cavalcante, no Ciso Blog, e; Luciano Pires, respondendo ao assunto em fórum.

Comentários

Everton Siqueira disse…
Interessantíssimo Dr.

Como nunca fiquei hospedado em hotel, não posso opinar sobre o assunto em si...mas queria ressaltar que o fator "terrorismo" deve ser sempre levado em atenção....

Por mais que a informação seja verídica, se tiver o tal do "repasse a seus amigos,etc" o assunto perderá crédito por uma boa parte dos internautas...eu por exemplo,apago sem ler!
Anônimo disse…
Importantíssimo avisar sobre Hoax, de qualquer forma elas são mais seguras que as antigas chaves e creio que não devolvê-las gera prejuízos ao hotel, que pode ser ressarcido, né?
Tatiane Pires disse…
Esse hoax foi coletado pelo site snopes.com (em inglês) em duas versões diferentes em 2003 e em 2005. É, de fato, uma lenda urbana, conforme explicação em http://www.snopes.com/crime/warnings/hotelkey.asp (em inglês)
emersonwendt disse…
Tatiane,

Excelente essa tua informação. Aliás, todo hoax ou "fraude nigeriana" tem um histórico, pois sempre são baseadas em algo e modificadas de acordo com as circunstâncias.

Valeu!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Tecnologia da Informação & Direito: um livro para o profissional de TIC

Após um longo período do projeto, iniciado lá em 2014 e interrompido em 2015, finalmente (não é em tom de reclamação, mas motivado pela falta de tempo!), lancamos em 2018 o livro: Tecnologia da Informação & Direito. O livro é fruto de uma parceria com a Profª Drª Ângela Kretschmann e visa a trazer aos neófitos nos estudos da interação entre as novas tecnologias e a percepção/recepção pelo Direito, especialmente no brasileiro. Um pouco sobre o livro: Existe um diálogo muito produtivo entre os profissionais da área jurídica e os da tecnológica, que promove contínuo aperfeiçoamento dos dois campos. Nesse sentido, o livro aborda uma noção geral que envolve o estudo do Direito e da Tecnologia, os principais pontos polêmicos que instigam a análise jurídica e o desenvolvimento do Direito para a solução de conflitos típicos da era digital. O enfoque é dado, em especial, após um apanhado geral do Direito, às áreas do direito do consumidor, direito à imagem, delitos cibernéti