Pular para o conteúdo principal

Lula cria grupo para propor política de Inteligência

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva instalou hoje o grupo de trabalho que vai propor a nova Política Nacional de Inteligência. Na reunião, o presidente disse que quer que o estudo, antes sem prazo, seja concluído em até três meses e avisou que considera importante seu governo deixar uma contribuição para o próximo presidente de reestruturação do atual sistema.

No encontro foi reiterado que, durante este período não haverá qualquer mudança na atual direção da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que está interinamente dirigida por Wilson Trezza, no cargo desde setembro, quando da saída de Paulo Lacerda em decorrência de denúncias de envolvimento do órgão na Operação Satiagraha, da Polícia Federal (PF).

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Armando Félix, apresentou o modelo de agência que o Brasil tem hoje, as suas necessidades e as dificuldades. Um estudo comparativo com outros serviços de inteligência de outros países apresentado mostrou, por exemplo, que a Argentina tem um orçamento em dólar dez vezes maior do que o Brasil. O serviço da Alemanha tem um orçamento 40 vezes maior. Em relação ao efetivo, o da agência Argentina é o dobro do brasileiro.

A Abin, que vive uma crise de identidade e precisa recuperar a sua imagem, tem 1400 funcionários, um orçamento total de mais de R$ 200 milhões, sendo R$ 50 milhões para custeio e apenas R$ 10 milhões para uso exclusivo em inteligência. Na reunião, o general Felix fez questão de lembrar ainda que as propostas de alteração na legislação de inteligência consideradas importantes para o novo modelo que se deseja e que dependerem de aprovação de projetos pelos parlamentares têm de ser discutidas e encaminhadas ao Congresso ainda este ano, porque em 2010 haverá eleições e as dificuldades de votação são inúmeras. (Tânia Monteiro)

Fonte: Agência Estado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Facebook: endereço de envio de intimações e/ou ordens judiciais

Achei interessante atualizar (fev/2018) esse post de outubro de 2011, visando deixar a informação mais correta e atualizada em relação aos procedimentos no Facebook: Várias pessoas me perguntam(vam) sobre o endereço do Facebook, que anunciou, em 2011, abrir um escritório no Brasil. Todo o procedimento de tratamento está explicado no nosso livro, escrito com o Dr. Higor Jorge: Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação. Veja como adquirir o livro: Como adquirir os livros? O resultado da pesquisa do registro do domínio nos remete a um escritório de registro de propriedade intelectual, porém, o escritório para envio de ordens judiciais e/ou intimações, além de requerimentos, é o seguinte: FACEBOOK SERVICOS ONLINE DO BRASIL LTDA Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 5º Andar, Bairro Itaim Bibi, São Paulo-SP, CEP 04542-000 - Fonte:  Jucesp Online Não sabíamos como seria o tratamento das informações e respostas às solicitações das chamadas

Estamos entre os melhores Delegados de Polícia, segundo Censos de 2017, 2018 e 2019

No ano de 2017 já havíamos sido agraciados com a distinção e citação dentre os melhores Delegados de Polícia na Categoria Jurídica.  Em 2018 e 2019, segundo o Portal Nacional dos Delegados , fomos novamente escolhidos, dentre os Melhores Delegados de Polícia do Brasil, na Categoria Gestão. Assim, ficamos muito lisonjeados pelo reconhecimento nacional em termos de gestão , especialmente pelo trabalho frente ao Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, o CONCPC, e, também, da atividade de inteligência. Vejam a lista completa dos agraciados de 2019, clicando aqui . Seguimos em frente. Deixamos a Chefia da Polícia Civil do RS, deixamos a área de inteligência, porém na vamos continuar nos dedicando à atividade de Segurança Pública.

Livro Direito & TI: Cibercrimes: debates contemporâneos sobre a ciberciminalidade

Em 2019 lançamos outro livro com destaque na área de Direito e Tecnologia da Informação. A obra Direito & TI: cibercrimes  contou com a participação de inúmeros autores do Brasil, México e Portugal. O release do livro: A cibersegurança é uma preocupação global, e as legislações têm muito a evoluir, pois a sociedade espera que o Direito resolva os problemas da Tecnologia da Informação, efetivando um controle sobre as condutas, quando essa perspectiva não é realista. O Direito tem a possibilidade de contingenciar os riscos do dia a dia de qualquer atividade, e, especialmente, o Direito Penal, deve ser a última razão de contingenciamento, estabelecendo a conduta e penas respectivas àquelas condutas que trazem danos aos dados ou a informação. Os autores: Emerson Wendt (organizador), Alberto Enrique Nava Garcés, Alesandro Gonçalves Barreto, Andrey Henrique Andreolla, David Augusto Fernandes, Diana Zanatta, Fernanda Brandt, Gabriel Araújo Souto, Iago de Pádua Grillo, Manuel David Massen